Halloween: por que os palhaços assustam tanto?

O que há por trás do terror gerado pela icônica fantasia de palhaço

Aumento do batimento cardíaco, aceleração da respiração e contração muscular são reações comuns de quem se encontra em um estado de medo. A sensação de alerta extremo é importante para a sobrevivência dos seres e ocorre quando, por alguma razão, o indivíduo se sente ameaçado. O halloween é um momento interessante para a análise do medo, visto que nele, figuras aterrorizantes do imaginário humano são colocadas em evidência.

Além de vampiros, bruxas e fantasmas, no halloween, é fácil de encontrar pessoas vestidas de palhaços, seja a versão boa, que tem por objetivo causar risadas, ou a versão assustadora, que serve de inspiração para sucessos cinematográficos de terror no mundo inteiro. Afinal, por que temos tanto medo de palhaço? O neurocientista com formação em neuropsicologia, Dr Fabiano de Abreu acredita que a natureza ambígua do palhaço seja a responsável pelo terror causado por ele. “A figura do palhaço se enquadra no famoso ditado ‘lobo em forma de cordeiro’. Pois, por não sabermos o que está por trás daquela máscara, o nosso cérebro ativa um sinal de alerta de perigo diante deles”, detalha.

O neurocientista também defende que o medo de palhaço pode ter raízes mais profundas que são alimentadas pela própria ideia de deboche e desconforto intrínsecas às atitudes de um palhaço. “São personagens espalhafatosos, que gostam de zombar das outras pessoas com brincadeiras que não inspiram conforto e segurança. Geralmente, eles acabam amedrontando as crianças com essas atitudes e se tornam um símbolo de terror”, afirma.

Para reverter a ideia de que o palhaço é um ser perigoso, é importante que as famílias ensinem às crianças a enxergarem o personagem como alguém divertido e que traz coisas boas. “Pode ser algo parecido com o que acontece com o Papai Noel no Natal. Mesmo com a fantasia, o cérebro traz aquela ideia de um bom velhinho, um idoso não vai fazer mal que não vai fazer mal”, exemplifica.

Por que temos tanto medo de palhaço? 

O halloween é uma época interessante para a análise dos nossos medos mais irracionais. Durante esse período, figuras aterrorizantes conhecidas desde a infância são colocadas em evidência e, por vezes, podemos perceber que tais desconfortos emocionais ainda são carregados por nós, mesmo quando adultos.

O medo é uma sensação natural do ser humano. Quando, por algum motivo, você se sente ameaçado, o seu cérebro libera impulsos que te fazem entrar em um estado de alerta extremo e, em uma situação de perigo iminente, é esse estado que pode salvar a sua vida. Porém, por que essas sensações são ativadas por figuras como vampiros, bruxas e palhaços?

A resposta para isso pode estar dentro da ciência. Acredita-se que figuras ambíguas causam muito mais medo do que as que são abertamente ruins. O palhaço, por sua vez, se encaixa na definição de “lobo na pele de cordeiro”, afinal, você não sabe quem está por trás daquela máscara e nem quais as suas intenções. Assim, é fácil criar uma atmosfera de inseguranças e terror ao redor do personagem.

Além disso, o palhaço é comumente associado a situações de desconforto. É um ser espalhafatoso que gosta de zombar das outras pessoas e isso pode fazer uma criança crescer com bloqueios quanto a essa figura, já que, no subconsciente dela, o palhaço causa vergonha, insegurança e desconforto para quem ele escolhe como “vítima”.

Desconstruir o terror em torno da figura do palhaço, porém, é fácil. Nós já fazemos isso com o Papai Noel no Natal. Mesmo que ele também use fantasias, na nossa imaginação ele é um bom velhinho e incapaz de fazer nenhum tipo de mal. Então, não ter medo dos personagens do halloween, também pode ser ensinado desde cedo.

Dr. Fabiano de Abreu Agrela Rodrigues

Fabiano de Abreu Rodrigues  é PhD, neurocientista com formações também em neuropsicologia, biologia, história, antropologia, neurolinguística...

Veja o perfil completo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.