Como Melhorar a Saúde Reprodutiva: entenda os pontos que podem afetar a fertilidade

Existe alguma medida para aumentar as chances de gravidez? Dos cuidados com o estilo de vida aos tratamentos médicos, veja o que pode ser feito

Primeiro, uma pergunta: o que é saúde reprodutiva? “A cada ano, milhões de casais experimentam problemas de infertilidade que dificultam a concepção natural. Cerca de 85% dos casais concebem dentro de 1 ano de tentativas. Muitas vezes, eles são capazes de engravidar em apenas alguns meses de tentativas. Os 15% que não engravidam em 1 ano certamente têm problemas na saúde reprodutiva ou de fertilidade – e devem buscar ajuda de um especialista”, explica o Dr. Fernando Prado, especialista em Reprodução Humana, Membro da Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva (ASRM) e diretor clínico da Neo Vita. “Normalmente, quando um casal busca uma clínica especializada, eles já estão tentando engravidar sozinhos no mínimo há 6 meses, mas muitas vezes são anos de tentativas frustradas. Se você é mulher e tem mais de 35 anos, é uma boa ideia procurar ajuda depois de 6 meses de tentativas sem sucesso. No entanto, algumas pessoas não gostam da medicalização de suas vidas privadas, então podem esperar anos, o que pode não ajudar”, completa o médico.

 Segundo o Dr. Fernando, uma regra geral é consultar um especialista em fertilidade se você estiver tentando por um ano e não tiver concebido, ou após 6 meses se for uma mulher com 35 anos ou mais. “Antes de consultar um especialista em fertilidade, você pode tentar ter relações sexuais pelo menos em dias alternados a partir do dia 10 do seu ciclo, porque cada óvulo viável dura apenas cerca de 48 horas em suas tubas uterinas”, diz o médico.

Problemas de saúde reprodutiva

Para as mulheres, a idade é o motivo mais comum para problemas de fertilidade, mas há uma grande variedade de razões pelas quais alguns casais não conseguem conceber um filho por conta própria. “Em cerca de 65% dos casais com problemas de fertilidade, encontramos uma causa física e, dependendo do que é, podemos tratá-la. Ambos os parceiros podem fazer uma avaliação de fertilidade, incluindo: exame físico, histórico médico e revisão de seus hábitos sexuais para detectar possíveis problemas; testes para medir hormônios, óvulos e qualidade do sêmen; teste de DNA para detectar quaisquer causas genéticas de infertilidade; testes de imagem, como ultrassom do útero e ovários, para procurar causas físicas”, explica. “As causas comuns de infertilidade, além da idade, são tubas uterinas bloqueadas, endometriose, baixa quantidade ou qualidade dos óvulos de uma mulher e ovulação infrequente. No caso dos homens, baixa qualidade ou quantidade de espermatozoides viáveis, doenças crônicas como diabetes, doença celíaca, lúpus ou problemas de tireoide podem diminuir a fertilidade”, conta o Dr. Fernando. A obesidade também pode ter um efeito significativamente prejudicial para a fertilidade. “Nas mulheres, o peso corporal também pode ter um impacto negativo na fertilidade. Meu conselho para as pacientes é que, se você estiver com sobrepeso ou obesa, até mesmo perder apenas de 5% a 10% do seu peso corporal pode melhorar substancialmente sua chance de gravidez e tornar sua gravidez mais saudável”, explica o médico. Homens obesos podem ter menor produção ou mobilidade de espermatozoides, de modo que os espermatozoides não podem se mover rapidamente para que ocorra a concepção. “Homens que tentam conceber também devem controlar seu peso”, diz o médico.

Meio Ambiente e Estilo de Vida

Se você está tentando engravidar, tome cuidado com substâncias químicas nocivas no trabalho ou em sua vida diária, como chumbo ou fumaça de cigarro, que podem diminuir a qualidade do esperma. A fertilidade das mulheres também pode ser afetada pela exposição a produtos químicos. “Existem muitos compostos em nosso ambiente que podem prejudicar sua saúde reprodutiva. Por exemplo, alguns produtos químicos usados em produtos de beleza ou pesticidas em nossos alimentos, ou até mesmo BPA, um produto químico usado em plásticos para fazer garrafas de bebida”, diz o médico. As pessoas que podem estar expostas a produtos químicos no trabalho devem usar roupas de proteção, luvas e máscaras para evitar o contato com toxinas.

Mesmo algumas mudanças simples em sua dieta e estilo de vida podem melhorar suas chances de concepção. “Comece com o básico, como os alimentos que você come, sua qualidade de sono e controlando os níveis de estresse. Pratique atividade física e evite os vícios de álcool e cigarro”, diz o médico. Ele sugere mais algumas mudanças simples que você pode fazer para melhorar sua saúde reprodutiva:

  • Ter relações sexuais frequentes, especialmente 2 dias antes e 2 dias depois da ovulação;
  • Não fumar e beber;
  • Manter um peso corporal adequado. Estar acima ou abaixo demais do peso ideal pode impactar em uma fertilidade reduzida;
  • A exposição ao calor pode diminuir a contagem de espermatozoides nos homens, então use roupas íntimas folgadas, evite banheiras de hidromassagem e não descanse seu laptop perto da região genital;
  • Dormir de 6 a 8 horas de sono de qualidade;
  • Tentar evitar o trabalho noturno, que pode atrapalhar a produção de hormônios;
  • Exercitar-se regularmente, mas sem exagerar! O excesso de exercício pode interferir na ovulação. Limite o exercício vigoroso a 5 horas ou menos por semana se estiver tentando engravidar;
  • Tomar suplementos contendo ácido fólico (orientados por um especialista) e outras vitaminas para melhorar a ovulação e, quando você engravidar, eles irão prevenir defeitos congênitos;
  • Limitar a carne ultraprocessada em sua dieta. Coma mais peixes ricos em ácidos graxos ômega-3 ou proteínas vegetais, o que pode melhorar a ovulação.

Tratamentos médicos

 Seus exames e resultados de testes ajudam seu médico a personalizar seu plano de tratamento. Primeiro, ele pode prescrever medicamentos para melhorar a ovulação e, no caso dos homens, para aumentar a produção de espermatozoides e sua qualidade. “Além disso, a Inseminação intrauterina (IIU) pode ser indicada. Nesse procedimento, os espermatozoides são colocados no útero na época em que um óvulo é liberado. Ao final de quatro ciclos de ovulação, esses tratamentos juntos têm uma taxa cumulativa de gravidez de 30% a 35%”, diz. “Mulheres com pólipos endometriais, tecido cicatricial ou miomas no útero ou aderências pélvicas podem precisar de cirurgia para melhorar as chances de concepção. Homens com obstrução no trajeto dos  espermatozoides, como no caso da vasectomia, por exemplo, podem fazer uma cirurgia de reversão para restaurar o fluxo normal ou mesmo uma punção para obter os gametas”, diz o médico.

A fertilização in vitro (FIV) também é uma possibilidade, que pode ser a primeira escolha em alguns casos, como obstrução das tubas uterinas, por exemplo. “A fertilização in vitro é a tecnologia de reprodução assistida mais comum. Seu médico estimulará seus ovários a produzir óvulos, que são então recuperados e fertilizados com o sêmen em laboratório. Alguns dias após a formação dos embriões, eles são transferidos para o útero”, conta o médico. “Acima de tudo, não desista do seu sonho de constituir família. A Medicina evoluiu muito possibilitando novas formas de melhorar a saúde reprodutiva”, finaliza o médico.

Dr. Fernando Prado

Dr. Fernando Prado Médico ginecologista, obstetra e especialista em Reprodução Humana. É diretor clínico da Neo Vita e coordenador médico da ...

Veja o perfil completo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.