Covid-19: O Que Mudou na Relação Entre Pais e Filhos e no Papel da Alimentação Dentro de Casa?

– 91% das famílias passaram a se sentir mais unidas no isolamento

– 29% das crianças aumentaram o consumo de alimentos saudáveis, mas 38% comeram mais doces como forma de compensação

– 82% dos pais vão ao mercado e farmácia sozinhos

A família ficou mais unida por causa do isolamento da pandemia com a ajuda das aulas online e do streaming. A ingestão de frutas cresceu, mas consumo de doces também. Essas são algumas das curiosidades levantadas pela pesquisa “O Universo da Lancheira”, encomendada pela Tetra Pak para a Play Pesquisa, empresa de pesquisa especializada em crianças e jovens.

Ficar em casa fez com que famílias preparassem mais sua própria comida, favorecendo alimentações saudáveis. Consequentemente, 29% das crianças aumentaram o consumo de alimentos saudáveis, e os pais esperam manter esse hábito. O doce, contudo, não foi abandonado.

Com a pandemia, não é seguro levar a família toda para o supermercado. As compras precisam ser mais ágeis e com poucas pessoas. Por isso, 82% dos pais dos pais vêm efetuando compras em mercados, farmácias e outros estabelecimentos que estejam abertos, e a maioria destes, 86% deixam os filhos em casa. A maioria (83%) está preocupado com a limitação de escolha, mas também vão sozinhos pela segurança (76%) e pela proximidade de casa (69%).

Família reunida

Um ponto positivo da pandemia foi a união. Segundo a pesquisa, 91% das famílias entrevistadas concordam que passaram a se sentir mais próximos. “Os pais começaram a brincar mais com os filhos, se viram no papel de amigos”, afirma Aurélia.

Segundo a pesquisa, 88% dos pais passaram a ajudar os filhos na lição de casa, mas pais e filhos passaram a dividir as telas também na hora da diversão: 80% assistem séries juntos e 79% assistem filmes.

Os pais, junto das mães, passaram a fazer mais parte das atividades diárias das crianças, 56% deles afirmam que mudaram essa rotina na pandemia e 64% afirmam que brincam mais em casa.

A pesquisa também captou a falta dos amigos como a questão mais difícil para as crianças, 97% delas querem voltar para a escola, e 96% desejam brincar novamente com os coleguinhas – principalmente nos parques da cidade, ou seja, ao ar livre. Enquanto isso não é possível, elas fazem videochamada para matar a saudade dos amiguinhos.

Sobre a pesquisa

Realizada no segundo semestre de 2020 e o primeiro trimestre de 2021, a pesquisa ouviu 720 crianças de 3 a 12 anos e 1.200 adultos de São Paulo, Recife, Fortaleza, Goiânia e Porto Alegre, a intenção era ter o estrutura de consumo, a chamada lancheira, entender o que e como consomem no intervalo entre as aulas ou durante as aulas online. Os pais falaram pelas crianças até cinco anos, mas os próprios filhos com mais de seis anos foram entrevistados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *