Famosos Aderem e Ressaltam a Importância do Congelamento de Óvulos

Fernanda Gentil divulgou a realização do procedimento e especialista em reprodução humana, da Nilo Frantz Medicina Reprodutiva, comenta sobre o assunto

Cresceu em 50% a procura por congelamentos de óvulos no Brasil no primeiro semestre de 2021 em relação a 2020, de acordo com especialistas. Nesta semana, o assunto voltou a ser destaque após a apresentadora Fernanda Gentil vir a público contar que decidiu realizar o procedimento.
 

No vídeo publicado em uma de suas redes sociais, Gentil conta que durante as suas pesquisas sobre o assunto se surpreendeu ao descobrir que aos 30 anos as mulheres possuem apenas 20% de chance a cada mês de poder engravidar de forma natural.
 

Segundo Bianca Bernardo, especialista em reprodução humana da Nilo Frantz Medicina Reprodutiva em São Paulo, essa diminuição ocorre, pois, a mulher já nasce com uma quantidade predefinida de óvulos, diferentemente dos homens que possuem espermatozoides ao longo da vida.

 

“O óvulo é produzido lá na vida intrauterina e em torno de vinte semanas de idade gestacional que é o seu ápice, a menina, dentro do útero da mãe, já tem cerca de sete milhões de ovócitos. E aí ela começa a perder essa reserva que há nesses óvulos armazenados dentro do ovário […] No nascimento, a menina já terá cerca de dois milhões de ovócitos e ela continua perdendo, independente de que ela tome pílula ao crescer, que tenha gestações, que bloqueie a menstruação, esses óvulos são constantemente recrutados”, explica Bianca.

O esgotamento dos óvulos ocorre quando a mulher entra na menopausa, por volta dos 50 anos de idade.
 

Por que congelar?
 

Um dos principais motivos que fazem com que as mulheres adiem a maternidade é a estabilidade financeira e a carreira, já que atualmente mulheres que se tornam mães enfrentam muitas dificuldades dentro do mercado, desde conseguir oportunidades até uma promoção. Com isso, grande parte do público feminino por volta dos 30 anos de idade já possuem a vontade de tentar realizar o desejo da maternidade, seja de forma natural ou assistida, como é o caso do congelamento de óvulos.
 

Fernanda Gentil também trouxe no vídeo outro dado muito importante e que merece atenção: 70% das mulheres que buscam clínicas de reprodução humana já não estão na fase ideal para realizar o procedimento.

A especialista explica que o limite de idade ideal para o congelamento de óvulos é aos 35 anos.
 

“Antes dos trinta e cinco anos a gente consegue armazenar, a gente consegue criopreservar óvulos de melhor quantidade e é mais fácil a gente conseguir um número bom de óvulos para ser utilizados no futuro. A taxa de gravidez a gente costuma passar para o paciente qual seria a chance dessa mulher engravidar se ela congelasse os óvulos de acordo com cada faixa etária. E para poder comparar as diversas faixas etárias, nós congelamos dez óvulos”, explica Bernardo.
 

O congelamento de óvulos permite que a mulher possa se planejar para realizar o sonho da maternidade no momento em que achar correto, trazendo autonomia na escolha.
 

Tratamento
 

Segundo a especialista, uma mulher mais jovem tem mais facilidade de lidar com o tratamento preparatório ao procedimento em que é necessário fazer uma indução de ovulação, estimulação ovariana, para que seja alcançado o limite de 10 óvulos no ciclo. Já se a paciente tiver mais de 35 anos é mais complicado conseguir fazer essa estimulação.

 

“Aos trinta e sete se esses mesmos dez óvulos forem congelados, a taxa de gravidez já cai para 55% a 54%. […] Aos trinta e nove, com dez óvulos, essa taxa já cai para 39% e aos 42 anos para 18%”, afirma a médica.

Vale lembrar que o procedimento também pode ser realizado por mulheres que estejam passando por tratamentos de câncer e queiram preservar a sua fertilidade e também por mulheres que estejam enfrentando doenças benignas.

Dra. Bianca Bernardo

Nilo Frantz Medicina Reprodutiva, constrói uma trajetória de credibilidade e sucesso. Sua história é repleta de inovação, de responsabilidade e, principalmente, de vidas. Fundada em 2003, com o propósito de unir inovação e responsabilidade com a Medicina Reprodutiva por meio da disseminação do conhecimento e promovendo a acessibilidade aos tratamentos, a Nilo Frantz facilita o acesso ao tratamento de infertilidade, oferecendo novas unidades de atendimento e parcerias em outras localidades, além de propiciar atualização para profissionais identificados com a especialidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.