Modelos práticos e seguros

A partir dos dois ou três anos a criança irá reclamar se não se sentir à vontade com determinada roupa. Mas se a ela ainda não souber falar, fique atenta ao seu comportamento. Se perceber que está inquieta depois de vestida, isso pode ser sinal que não está confortável.

Uma boa ideia é retirar todas as etiquetas das roupas e checar as costuras internas para não pinicar.

Crianças não toleram modelos com elásticos apertados nos braços, pernas e cinturas. Fuja também de blusas e camisetas com golas muito justas que apertam o pescoço.

Quando a criança chega na idade de querer se vestir sozinha, as roupas com cinturas ajustáveis e botões de pressão são as mais práticas.

Uma questão fundamental é a segurança da roupa. “Nenhum acessório é perigoso quando a roupa e o aviamento é de boa qualidade”, garante Yves Pancotti, do departamento de marketing de uma grife infantil.

Porém, se botões, lantejoulas, e peças pequenas não estiverem bem presas à roupa, isso pode ser perigoso. Mesmo as crianças maiores podem se machucar ou engolir alguma coisa. Antes de vestir a criança, verifique se não há nenhuma peça se soltando.
“Um cuidado que temos é o não uso de broches e bottons em peças de primeiros passos”, diz Pancotti.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.