No Mês da Mulher, Conscientização sobre o Teste do Pezinho deve ser Prioridade para Mães

A pandemia é uma realidade desde 2020 e as mulheres grávidas foram bastante afetadas pelo coronavírus. De acordo com a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), no período de dois anos, foram registrados 365 mil casos de covid-19 em gestantes nas Américas, sendo que mais de 3 mil morreram. Além disso, aconteceram muitos casos de bebês recém-nascidos testando positivo logo após o parto. Com o foco voltado para essa doença, alguns exames, como o teste do pezinho, acabaram sendo deixados em segundo plano.

O teste do pezinho é feito em crianças recém-nascidas e realizado a partir das gotas de sangue coletadas do calcanhar do bebê e permite identificar doenças graves assintomáticas ao nascimento e que podem causar sérios danos à saúde, caso não sejam diagnosticadas e tratadas precocemente. No Brasil, o exame é considerado obrigatório.

Segundo informações da Sociedade Brasileira de Triagem Neonatal e Erros Inatos do Metabolismo (SBTEIM), 70% dos recém-nascidos têm a coleta realizada em uma unidade básica de saúde, entre o terceiro e o quinto dia de vida. Mas, de acordo com o Ministério da Saúde, com a chegada da pandemia e a indicação de distanciamento social, o exame podia ser realizado no momento da alta hospitalar para evitar o retorno da puérpera e do bebê ao hospital, assim como para garantir a cobertura.

Antonio Condino-Neto, Presidente do Departamento de Imunologia da Sociedade Brasileira de Pediatria e Coordenador do Laboratório de Imunologia Humana do ICB-USP, é sócio-fundador da Immunogenic e ressalta que a pandemia não é motivo para mães e pais não se atentarem ao teste do pezinho, um exame tão fundamental. “As primeiras horas de vida de um recém-nascido são determinantes para a descoberta de enfermidades, em especial, doenças relacionadas à imunodeficiência primária. A triagem neonatal dos Erros Inatos da Imunidade por meio do teste do pezinho é muito necessária”, afirma.

Como a melhora gradativa do cenário da pandemia, não há mais motivos para que as mães deixem de levar seus filhos para fazerem o exame, que é de fácil acesso para todos. A conscientização deve ser a peça principal para evitar que as crianças sejam diagnosticadas tarde demais, aumentando assim as chances de cura com a realização de um tratamento adequado para cada caso.

Immunogenic é o primeiro laboratório especializado em triagem neonatal dos Erros Inatos da Imunidade por meio do teste do pezinho

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.