Os riscos dos regimes pontuais para engravidar

 

É bem certo que perder peso, tendo em vista uma meta, a curto prazo, é mais fácil. São objetivos que contam com o estímulo de um ponto final à vista e quase sempre com uma grande probabilidade de ser alcançado, independente do que vem depois. Aliás, as pessoas nem pensam no que vem depois, mesmo que retornem todos os quilinhos perdidos. No inconsciente isso já é algo esperado.

Um dos maiores entraves às dietas para emagrecer é a impossibilidade de haver um fim previsível. Quase todas as pessoas começam suas dietas com grande motivação. Não é a toa que os primeiros meses são os mais promissores na perda de peso. Apesar do estímulo inicial, por volta do terceiro mês elas já sentem reduzir a perda de peso e a partir do sexto mês, só os muito obstinados persistem. Não é fácil encarar as dietas por tempo indeterminado.

A gestação talvez seja um dos mais comuns pontos de partida para um regime rápido e quando a mulher imagina os quilos a mais de uma gestação, somados aqueles que ela colecionou durante os anos, bate um certo desespero. A primeira ideia que lhe surge é começar uma dieta que promova resultados rápidos com o objetivo de engravidar magra. Entretanto, essa situação pode constituir em risco de ganho de peso acelerado durante a gestação que se inicia.

Toda dieta que promove emagrecimento rápido leva a alterações no metabolismo corporal no sentido de reduzir a queima calórica. Esse mecanismo é bem conhecido das pessoas acostumadas com o efeito sanfona das dietas. O ganho de peso pode ocorrer por dois mecanismos: pela desaceleração do gasto calórico que ocorre após o emagrecimento rápido, quanto pelo aumento do apetite e maior voracidade que se segue aos regimes muito restritivos e monótonos.

Agora, imaginem esse efeito ocorrendo durante a gestação, quando tudo favorece o aumento do apetite e o ganho de peso. O resultado não poderia ser outro. Ganha-se muito mais peso do que o recomendado e, muitas vezes, o risco gestacional é maior do que aquele de uma mulher que engravida com sobrepeso. Nesse contexto, o que observamos no acompanhamento de gestantes com sobrepeso é que aquelas que fizeram um regime para engravidar se sentem mais livres para comer e fazem isso sem muito controle, ao passo que as mulheres que engravidam com sobrepeso tendem a ser mais controladas durante os nove meses.

O erro não está em querer engravidar com o peso ideal e sim na forma com que se busca tal objetivo. O projeto de peso ideal deve ser buscado muito tempo antes da gestação e quando isso não for possível, o melhor será uma reeducação alimentar que possa ser continuada durante a gestação. Essa dieta deve ser balanceada, sem muita restrição e atender às necessidades nutricionais da mãe e do bebê. Deve ainda possibilitar a amamentação e a continuidade desse projeto de peso ideal a longo prazo.

Dra. Ellen Simone Paiva

Médica especializada em endocrinologia e nutrologiaEllen Simone Paiva é médica especializada em endocrinologia e nutrologia.Mestre em...

Veja o perfil completo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.