Paciente Renal em Hemodiálise Comemora Gravidez no Dia das Mães

Com a chegada desta data tão especial, Elizandra compartilha a sua história emocionante e diz que o seu caso representa um milagre. “Depois de muitos anos em diálise, achava que não era possível acontecer”, comenta a paciente sobre a gestação.

Créditos da foto: Arquivo pessoal.

Com a chegada desta data tão especial, Elizandra compartilha a sua história emocionante e diz que o seu caso representa um milagre. “Depois de muitos anos em diálise, achava que não era possível acontecer”, comenta a paciente sobre a gestação.

Elizandra Duarte de Andrade Souza tem 32 anos, aos 22 anos descobriu uma doença grave nos rins, desde então faz o tratamento de hemodiálise. Ela, que é natural de Cuiabá (MT), relata que foi convencida pela sua médica a fazer o tratamento de diálise na Fundação Pró-Rim, em Joinville (SC), para ficar mais perto do transplante renal. Pois a gravidade da sua situação não podia esperar por conta da pressão arterial muito alta. “A médica me alertou também sobre a dificuldade em ter acesso para dialisar”.

A gravidez

Em 14 de janeiro deste ano, Elizandra descobriu que estava grávida. “Em princípio fiquei assustada. Passou muita coisa pela minha cabeça: fazer hemodiálise todos os dias, três horas em cada sessão e tomar injeções de eparina (anticoagulante) três vezes ao dia, todos os dias. Estes são os principais cuidados que tenho que ter. Também tem o controle do peso, do líquido, do sal e uma alimentação balanceada e medicações para gestação em horários corretos”, explica.

Ela conta que a gravidez não foi planejada, “até pelo fato da minha condição de saúde. Depois de muitos anos em diálise, achava que não era possível acontecer”. Mas aconteceu.

O milagre

Elizandra garante que sempre sonhou em ser mãe, mas, considerava um sonho perdido. “Eu já tinha aceitado que ele (o sonho) não iria se realizar, mas para Deus nada é impossível e o meu milagre aconteceu”, diz a paciente renal emocionada. “Estou ansiosa para ter meu bebê nos braços e muito, muito feliz por essa bênção que Deus me deu”, descreve a futura mamãe.

Ser mãe

Para ela, mãe é tudo na vida de um filho. “É não medir esforços, é dar sua própria vida por ele”. Ela conta o que planeja para o bebê: “Em primeiro lugar que venha com muita saúde e amor. Não vão faltar carinho e cuidados ao meu bebê, o que para mim é essencial”, reforça a futura mamãe, que ainda não sabe se é menino ou menina.

Orientações

O médico nefrologista Franco Kruger, Diretor Clínico da Fundação Pró-Rim, esclarece que a paciente que possui a doença renal, a gestação pode ser agravada e os riscos aumentados. “Gestantes com insuficiência renal crônica devem ser acompanhadas de perto devido ao risco de vida materno e de perda fetal”, relata o médico. Segundo ele, “atualmente as mulheres com doenças renais crônicas têm conseguido, apesar de algumas dificuldades, chegar ao término de gestações bem-sucedidas”. O Dr. Kruger também afirma que pacientes transplantadas renais têm uma sobrevida cada vez maior associada a um aumento da fertilidade.

Fonte: Fundação Pró-Rim foi fundada em 1987, em Joinville (SC), pelos médicos nefrologistas Dr. José Aluísio Vieira e Dr. Hercilio Alexandre da Luz Filho com o propósito de oferecer um tratamento mais digno e diferenciado aos pacientes renais. É reconhecida como referência nacional na área de nefrologia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.