Pediatra Alerta Sobre 7 Efeitos da Pandemia na Primeira Infância

Médica enumera como o distanciamento social pode afetar o desenvolvimento em curto e longo prazos

A pandemia de Covid-19 pegou o mundo de surpresa e colocou praticamente todo o planeta em quarentena. No entanto, é inegável que esse afastamento de uma rotina mais próxima da normalidade, com contato e interação com outras pessoas tem afetado a vida de todos e as crianças estão entre as que mais têm sofrido com isso.

Dra. Renata Aniceto, pediatra da SBP e membro da Liga da Cozinha Afetiva, lista oito efeitos que podem ocorrer durante a primeira infância, quando o cérebro ainda está se desenvolvendo rapidamente e é altamente sensível às adversidades ambientais. Confira:

• Desigualdade social: A deterioração das circunstâncias econômicas agravará ainda mais os riscos imediatos para a saúde, nutrição, cuidados e educação das crianças, segundo a pediatra. “Estima-se que a pandemia pode levar, em um ano, a um adicional de 42 a 66 milhões de crianças que vivem em extrema pobreza, e que os choques econômicos vividos pelas famílias por causa da crise econômica global poderiam reverter os últimos 2 a 3 anos de progresso na diminuição mortalidade infantil”, alerta.

• Saúde dos pais: Fatores parentais e familiares são os principais motores do crescimento e desenvolvimento saudável das crianças e, portanto, são primordiais na determinação da gravidade imediata dos impactos da pandemia nas crianças agora e no futuro. “Em situações de crise, os cuidadores primários e os pais lutam para acompanhar o fornecimento de saúde, nutrição, segurança e cuidados com as crianças.”

• Alterações comportamentais: Com muitas creches e escolas fechadas e sem interação com outras crianças, a turminha fica privada de estimulação social e cognitiva fora de suas casas – “sem contar as refeições e outros recursos fornecidos por muitos programas de DPI”. Dra. Flavia lembra que a evidência inicial mostra aumentos no relato dos pais sobre dificuldades de saúde mental, bem como aumentos nos problemas de comportamento das crianças desde o início da pandemia.

• Crianças com deficiências: Os desafios podem ser ampliados para pais e familiares que cuidam de crianças com deficiências ou que também vivem com deficiência.

• Estresse na gestação: O estresse materno pré-natal pode levar a resultados adversos da gravidez, como parto prematuro e aumento de complicações perinatais.

• Violência doméstica e abuso: Relatórios anteriores mostram que as condições de confinamento e / ou aglomeração estão associadas ao aumento de casos de violência doméstica e abuso infantil.

• Obesidade e comorbidades: Por conta da ansiedade e até do tédio de ficar muito tempo dentro de casa, muitas crianças acabam descontando na comida as suas emoções e, com isso, engordam e prejudicam sua saúde hoje e no futuro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *