Pediatras reprovam armas de brinquedos para crianças e adolescentes, e pedem respeito das autoridades.

A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) divulgou nesta sexta-feira (1) uma nota aos brasileiros em que reitera a importância de a população, em especial autoridades e personalidades públicas, respeitarem a legislação que exige a proteção dos direitos de crianças e adolescentes. O posicionamento ocorre logo após a divulgação de imagens do presidente da República, Jair Bolsonaro, em que aparece com uma arma de brinquedo em punho ao lado de uma criança.

No documento, a SBP lamenta que cenas como as exibidas às vésperas do Mês da Criança sejam cada vez mais frequentes e conclama as autoridades para uma reflexão sobre os efeitos destas ações de marketing e de mídia, e que essas ações precisam estar alicerçadas na ética e na legislação, e nunca serem maiores que o compromisso com a dignidade da população brasileira.

“Ao contrário dos adultos, elas (as crianças) são incapazes de distinguir entre uma arma real e armas de brinquedo. Estudo recente mostrou que quase 60% dos integrantes de um grupo de crianças com idades entre 7 e 17 anos não souberam distinguir armas reais de armas de brinquedo. Não é  por acaso que a cada 60 minutos uma criança ou adolescente morre em decorrência de ferimentos por arma de fogo no Brasil”, destaca a entidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *