Por Que a Perda Dentária é Maior Entre as Mulheres?

Segundo uma pesquisa do IBGE, respondida por mais de 60 mil pessoas, 11% da população com 18 anos ou mais, perdeu todos os dentes. Mas essa proporção aumenta entre as mulheres. Apesar de, de forma geral, serem mais cuidadosas, elas compõem o maior percentual: 13,3% das mulheres perderam todos os dentes.

Por conta de condição hormonal, que varia muito ao longo da vida, as mulheres, são muito mais suscetíveis do que os homens a apresentarem problemas dentários e, em especial, a perda dos dentes. O período da gravidez, por exemplo, é especialmente delicado para a saúde bucal, “nessa fase, o organismo recebe uma carga intensa dos hormônios estrogênio e progesterona, substâncias que promovem modificações vasculares, facilitando o ataque de bactérias nas gengivas.” explica a cirurgiã dentista e especialista em saúde bucal Dra. Bruna Conde. “Pessoas mais suscetíveis podem desenvolver gengivite que, caso não seja tratada adequadamente, pode evoluir para a periodontite que leva à perda dentária” completa a dentista.
 

O homem praticamente enfrenta uma única mudança importante, que é quando entra na puberdade. Já a mulher, além da puberdade, sofre durante muitos anos com variações hormonais provocadas pela menstruação, gravidez e menopausa. Isso tudo tem impacto principalmente na saúde da gengiva e a torna mais vulnerável a doenças periodontais.
 

Estudos indicam que a gengivite chega a afetar três em cada quatro gestantes. “Além disso, gestantes tem maior chance de apresentar cárie, sensibilidade dental e alteração do hálito, por isso é tão importante a visita ao dentista antes de engravidar e ao longo da gestação toda.” alerta Bruna Conde.

 

Também na idade madura, com a modificação hormonal que reflete em todo o organismo, a incidência de danos à saúde bucal aumenta. Desde a proximidade do final do ciclo menstrual (o chamado climatério), que acontece a partir dos 45 anos, a cavidade oral se ressente sob muitos aspectos. A gengiva pode sofrer com isso, situação que se intensifica com a chegada da menopausa, o que pode afetar a sustentação dos dentes e aumentar as chances de perda dentária.


Outros fatores de risco são osteoporose (frequente na menopausa), tabagismo, diabetes, hábito de ranger os dentes, estresse.

Realmente por conta das mudanças hormonais que as mulheres passam ao decorrer da vida, elas são mais propensas a perda dos dentes, por exemplo é comum que na menopausa a mulher sofra com osteoporose e a perda óssea na boca resulta em inflamações da gengiva que se não tratadas resultam em perda do dente.

Existe prevenção?

A prevenção é a melhor maneira para evitar danos na sua boca. Uma boa higiene bucal diária e visitas regulares ao dentista são as duas melhores dicas que você pode seguir para evitar problemas futuros.

 

Quando a mulher já entrou na menopausa, principalmente depois dos 60 anos, ocorre um problema chamado de Síndrome da Boca Seca — que também afeta muito mais mulheres do que homens. Com metade do volume de saliva produzido, a paciente tem problemas para mastigar e engolir os alimentos. Quando não diagnosticada e tratada a tempo, essa condição pode resultar, inclusive, na perda dos dentes.
 

O problema pode ser identificado por sintomas?
 

De acordo com a cirurgiã dentista Bruna Conde os sintomas mais comuns são presença de mau hálito, língua avermelhada ou áspera, sensação ruim na garganta, sede frequente, sensação pegajosa na língua ou mesmo ardência, dificuldade ao falar, feridas nos cantos da boca, fissuras nos lábios e rouquidão. Por isso, além de procurar um cirurgião-dentista, é importante que as mulheres tenham hábitos saudáveis e saibam como realiza-los em determinados períodos de vida.


Por que o sorriso de homens e mulheres apresentem tantas diferenças?


— Anatomia: o diâmetro dos dentes de um homem é maior que o de uma mulher. A língua também apresenta ser maior.

 

— Stress: com muitas funções no dia a dia, vinculadas ao trabalho dentro e fora de casa, aumentou o número de mulheres que sofrem de stress, condição que aumenta a incidência de cáries e outras doenças bucais.
 

— Mudanças hormonais: gravidez e menopausa são períodos que influenciam na saúde bucal e, portanto, o cuidado deve ser redobrado.


  — Idade: a diferença nos problemas de saúde entre homens e mulheres se alarga à medida que envelhecemos. As mulheres mais velhas são mais propensas à perda de dentes do que os homens.

Autoria: Dra Bruna Conde – Dentista Antenada: Cirurgiã Dentista.
CRO SP 102038 “Sou uma dentista antenada e busco estar ligada em tudo o que faz bem para a nossa saúde.” Há mais de 10 anos de formada, no mínimo 6000 sorrisos realizados, Dra Bruna Conde é especialista e em frequente atualização


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.