Quais são as Três Principais Causas Cirurgias Pediátricas?

Apesar de os procedimentos serem considerados de baixa complexidade, é necessário atenção para evitar complicações

Quando o assunto é a saúde das crianças, todo sinal de alerta deve ser investigado. Mudanças corporais na região íntima ou abdômen como inchaço, coceira e vermelhidão podem indicar problemas em que a solução definitiva é a realização de uma cirurgia. De acordo com Fernanda Ghilardi Leão, pediatra parceira da Vidia, startup que conecta pessoas sem planos de saúde a hospitais privados, as principais causas de cirurgias em crianças são a postectomia e as hérnias inguinal e umbilical, todas elas de baixa complexidade. 

Em sua experiência no Sabará Hospital Infantil, principal referência em cirurgias pediátricas do País, Fernanda acompanha diariamente casos em que o olhar atento dos pais ou dos cuidadores faz toda diferença no encaminhamento de uma solução rápida e eficaz, já que muitas vezes a criança não sabe explicar o que sente. “Além da preocupação com a falta de entendimento da criança com o que pode estar acontecendo, muitos pais acabam achando que estão sem saída por não terem plano de saúde e, consequentemente, não podem pagar por aquele procedimento. Por isso, é importante ressaltar que hoje o mercado oferece diversas opções e facilidades para que as crianças possam ter mais qualidade de vida”, explica. 

Veja a lista das principais cirurgias infantis e os sinais para os pais e responsáveis ficarem atentos: 

POSTECTOMIA

Conhecida popularmente como cirurgia de fimose, a postectomia é indicada quando não é possível realizar a higiene adequada do pênis. “Se a criança apresentar dor, dificuldade para urinar, coceira local, ardência, vermelhidão e inchaço, os pais devem procurar um pediatra para avaliação. Quando há a necessidade cirúrgica e o procedimento não acontece é possível ter como complicação inflamação no pênis, infecções de urina , parafimose, que é quando a pele peniana fica presa no corpo peniano, expõe a glande e depois não recobre novamente”, esclarece Fernanda. 

HÉRNIA INGUINAL

Outro problema comum na infância é o surgimento da hérnia inguinal. A cirurgia é indicada assim que se faz o diagnóstico, devido ao risco do encarceramento – quando o intestino fica preso no saco herniário. O inchaço na região inguinal e escrotal em meninos e inguinal em meninas, devem ser sinais de alerta aos cuidadores das crianças. “Se a cirurgia não for realizada, há risco de perda de um segmento intestinal ou ovário e trompas nas meninas”, explica.

HÉRNIA UMBILICAL

A hérnia umbilical também compõe a lista das principais cirurgias pediátricas. Chamada de Herniorrafia Umbilical, a cirurgia para o problema é indicada após os 3 anos de idade. Quando há muita dor local, é preciso levar a criança para consulta. “Embora o encarceramento nestes casos sejam raros, ele pode acontecer, por isso o quanto antes o procedimento é realizado menores os riscos. Além disso, o que chamamos na área médica de abaulamento, que está ligado à incapacidade da parede abdominal em conter o conteúdo dentro da própria cavidade, pode aumentar com o tempo, e a convivência com as dores também, o que prejudica a qualidade de vida da criança”, finaliza Fernanda. 

Fonte: Fernanda Ghilardi Leão, pediatra parceira da Vidia, Sabará Hospital Infanti

Fundada em 2020, a Vidia é a primeira plataforma digital que viabiliza cirurgias eletivas para pessoas que não possuem plano de saúde.

O Sabará Hospital Infantil, localizado na cidade de São Paulo, é referência no atendimento de crianças e adolescentes até 18 anos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.