Saúde Bucal no Autismo

Se a higiene oral é mal feita, pode causar uma série de problemas e as características típicas do transtorno podem colocar em risco a saúde da boca das crianças

No próximo sábado, 2 de abril, é celebrado o Dia Mundial de Conscientização do Autismo. O Transtorno do Espectro Autista (TEA) é considerado uma desordem do neurodesenvolvimento caracterizado por manifestações comportamentais acompanhadas de déficits na comunicação e interação social. A saúde bucal de crianças com TEA é um tema pouco abordado, mas que merece atenção. Pessoas com TEA apresentam elevado índice de problemas bucais como cárie e doença periodontal. Muitas vezes estes problemas estão associados a uma dieta cariogênica (com alto consumo de alimentos e bebidas que podem contribuir para o desenvolvimento de cáries), má higienização bucal, hábitos parafuncionais (apertar ou ranger os dentes), questões sensoriais e utilização de medicamentos, por isso é muito importante uma abordagem odontológica precoce e preventiva.

“O primeiro passo é conscientizar os responsáveis da importância da visita precoce ao dentista. O ambiente odontológico é desconhecido e possui muitos estímulos como luzes fluorescentes, ruídos agudos, materiais de diversas texturas, sabor e cheiro, que podem gerar ansiedade e uma reação avessa. O ideal é preparar o paciente em casa, com uso de lanternas durante a escovação e escova elétrica para ambientar ao motor da profilaxia. O atendimento odontológico domiciliar também é uma ótima alternativa, uma vez que, evitamos a mudança brusca de rotina, contribuindo por uma melhor aceitação pelo paciente”, Dra. Bruna Lavinas.

É importante que o atendimento no consultório ou em casa, seja produtivo, para que isso aconteça, os responsáveis devem estar sempre junto a criança para tranquiliza-la e transmitir ao profissional o máximo de informações sobre ela. O profissional de posse das informações deverá buscar diferentes e divertidas formas para conquista-lo, como desenhos coloridos e flores nos jalecos, chapéus e óculos grandes coloridos, tapetes coloridos e espelhos, tudo para tornar o consultório agradável, mas sem exagero, para que a criança fique tranquila e segura.

Mestre e Doutora em Patologia e Especialista em Estomatologia e Odontologia para Pacientes com Necessidades Especiais, Bruna Lavinas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.