Saúde infantil: Dicas para tornar os exames e vacinas menos traumáticos

Segundo especialista o estresse na hora da coleta pode alterar resultados, segue dicas para amenizar o momento.

Quem tem criança em casa conhece os desafios impostos pelos cuidados com a saúde dos pequenos. Ter que levar os filhos para colher exames e aplicar vacinas e injeções, para muitos, é sinônimo de medo, estresse e apreensão, mas não precisa ser assim!

Além do desconforto emocional para o paciente e para os pais e responsáveis, o estresse na hora da coleta ainda pode alterar os resultados de alguns exames de sangue. “O nervosismo do paciente pode interferir em algumas dosagens hormonais e aumentar os níveis de glicemia”, explica Myrna Campagnoli, endrocrinopediatra e diretora médica do Santa Luzia, unidade de medicina diagnóstica da Dasa em Florianópolis (SC).

A especialista dá dicas para amenizar esse estresse e tornar a rotina de saúde dos pequenos mais tranquila para eles e para os pais:

Segurança e conhecimento dos adultos

MC: Nada assusta mais a criança do que ver os pais ou responsáveis assustados. Com o desconforto dos adultos, a criança perde toda a referência de segurança que tem. Pais tranquilos e confiantes do procedimento a ser realizado ajuda muito. Por isso é importante que a família esteja segura do laboratório ou hospital que frequentam, conheçam os profissionais e saibam exatamente o que será feito.

Seja transparente

MC: Os pais e responsáveis precisam ser verdadeiros com os filhos e não esconder o que será feito. Explicar como funcionam os exames e vacinas aos quais a criança será submetida é essencial. Também é importante esclarecer os motivos pelos quais os procedimentos precisam ser realizados e não mentir se algum deles causar alguma dor ou desconforto. Quando a criança entende o porquê de estar indo ao médico ou a um laboratório ela vai mais segura e tranquila do procedimento.

Não use cuidados com a saúde como castigo

MC: É preciso tratar os cuidados com a saúde como algo positivo e não como castigo. Precisamos acabar com a cultura de punir alguma atitude negativa da criança com argumentos como “eu vou te levar para tomar injeção”, por exemplo. Esses argumentos criam uma sensação de medo e a rotina de saúde dificilmente será positiva para a criança acostumada a ouvi-los.

Conheça as vantagens e facilidades do atendimento móvel

MC: Muitas crianças sentem medo do ambiente médico, dos equipamentos e das pessoas de branco. O ambiente familiar pode ser uma alternativa para deixá-las mais tranquilas durante as coletas e as vacinas, pois traz a sensação de conforto, segurança e proteção.

O atendimento móvel também é uma ótima opção para crianças com autismo, paralisia cerebral e dificuldades de locomoção. Coletar exames e se vacinar em casa aumenta a percepção de segurança e de ambiente controlado, deixando o paciente mais tranquilo.

Amamente o bebê ou a criança durante a coleta

MC: A coleta ou a vacina no seio materno é uma alternativa para crianças que ainda estão em fase de amamentação. Vários estudos comprovam que o ato de amamentar alivia as dores das crianças que, por sua vez, se sente acolhida e confortável naquela situação.

Frequente ou proporcione um ambiente lúdico

MC: Proporcionar ambiente lúdico e acolhedor, onde a família se sente segura, com uma equipe treinada para atender o público infantil e com elementos como jalecos e decoração com personagens animados torna a coleta ou a vacinação mais divertida.

” Fazemos avaliações de rotina, com exames de glicemia e anemia, por exemplo, e não somente quando a criança apresenta algum sintoma”, conta a especialista. ” Quanto mais postergamos o momento do exame, mais colocamos as crianças em risco quando esperamos algum sintoma, mais chances temos de se perder o momento do diagnóstico precoce, correndo o risco de um tratamento mais demorado e difícil”, finaliza a médica sobre a importância de cuidar da saúde infantil.

Myrna Campagnoli

Endrocrinopediatra e diretora médica do Santa Luzia, unidade de medicina diagnóstica da Dasa em Florianópolis (SC).

Veja o perfil completo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *