SP lança ‘pré-natal do homem’

Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo lança o ‘pré-natal do homem’ para prevenir transmissão vertical de HIV e sífilis.

A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo acaba de lançar programa inédito, voltado aos homens, para ajudar a reduzir ainda mais a transmissão vertical (de mãe para filho) do HIV e a sífilis congênita.

Chamado de “pré-natal do homem”, o projeto foi implantado inicialmente em 45 cidades paulistas e até 2014 deve estar em 190 municípios considerados prioritários.

O pré-natal voltado para o homem garante um espaço para que o pai possa procurar o serviço de saúde e participar de um momento que, historicamente, é da mulher.

A medida surge como possibilidade para aumentar o acesso às unidades de saúde e ao tratamento das DST, propiciar maior participação no momento da gestação, ampliar a discussão sobre prevenção às DST/Aids e outras doenças ligadas à saúde do homem. As consultas podem ser realizadas nos serviços públicos que já fazem o atendimento do pré-natal feminino.

“Uma vez confirmada a gravidez, a gestante é acolhida pelo serviço de saúde, seus exames de rotina solicitados e marcada a primeira consulta do pré-natal, onde são entregues os resultados dos exames. Simultaneamente, a unidade de saúde convida o parceiro da gestante para um atendimento individual”, afirma Ivone de Paula, gerente da área de prevenção do Centro de Referência e Treinamento em DST/Aids, na capital, que oferece o “pré-natal do homem”.

Na consulta são ofertados os exames para sífilis e HIV, além de aconselhamento para a prevenção das DST, informando sobre as possibilidades de risco e práticas sexuais seguras. Na sequência, é agendada nova consulta, para entrega dos resultados e aconselhamento pós-teste, além de orientações necessárias com relação à saúde dos pais e do bebê.

Estudos brasileiros demonstraram que a taxa de transmissão vertical (mãe para filho) do HIV era de 16% em 1997 e de 7% no ano de 2002. Já no Estado de São Paulo, a taxa de transmissão era de 2,7% em 2006. Esta queda se deve ao diagnóstico precoce e à introdução da terapia antirretroviral como prevenção durante a gestação.

Um dos maiores entraves para a eliminação da sífilis congênita é a dificuldade de tratar os parceiros sexuais das mulheres grávidas que tem a doença diagnosticada. A doença pode causar aborto, má formação ou morte do bebê, além de sequelas como cegueira, surdez e deficiência mental.

“Habitualmente, o homem só procura os serviços de saúde quando já está doente ou recorre a farmácias para cuidar de sua saúde. Quando o assunto envolve doenças sexualmente transmissíveis e sexualidade, a situação torna-se ainda mais delicada”, diz Maria Clara Gianna, coordenadora do Programa Estadual DST/Aids-SP.

A implantação do pré-natal masculino faz parte das ações programáticas do Programa Estadual de DST/Aids, sendo realizada por meio de monitoramento das ações de prevenção às DST/Aids na rede de atenção básica. Durante a realização do monitoramento os profissionais dos municípios são capacitados e acompanhados.

Municípios onde o “pré-natal masculino” já foi implantado: Adamantina, Anhumas, Bady Bassitt, Bastos, Bernardino de Campos, Bragança Paulista, Brotas, Buritizal, Caiuá, Canitar, Franca, Guará, Inúbia Paulista, Itapeva, Itatiba, Itu, Ituverava, Jandira, Lençóis Paulista, Marapoama, Miguelópolis, Monte Azul Paulista, Nantes, Ocauçu, Osvaldo Cruz, Paraguaçu Paulista, Pirajuí, Pirangi, Pirapozinho, Piratininga, Ribeirão Pires, Salmourão, Saltinho, Santa Bárbara d”Oeste, Santo André, Santos, São Sebastião, São Paulo, São Vicente, Severínia, Taquaritinga, Tarabaí, Taubaté, Teodoro Sampaio, Tupã, Tupi Paulista.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.