Um Minutiiiinho! – Palavra Cantada

O maior e mais bem acabado produto da Palavra Cantada, por sua impecável produção e composições, como sempre destinadas ao universo familiar de pais e filhos.

Um Minutiiinho!é o novo CD da Palavra Cantada após um hiato de quatro anos sem gravações — desde O Carnaval Palavra Cantada (2007) —, e quem sabe seu maior e mais bem acabado produto, por sua impecável produção e composições, como sempre destinadas ao universo familiar de pais e filhos. São 14 canções que navegam livremente pelo imaginário infantil, dessa vez abdicando de um tema central (típico dos trabalhos anteriores), e também agora abertas para o leque das “idades” da infância. Isto que poderia ser incontornável – a diferença é grande entre uma criança de 2 para outra de 10 anos – resolve-se de maneira harmônica nesse CD graças ao tratamento musical elevado e às interpretações que Sandra Peres e Paulo Tatit imprimem em seus trabalhos desde 1994, quando criaram o selo Palavra Cantada.

Um Minutiiiinho! - Palavra Cantada

Um Minutiiinho é pop. Sua sonoridade dialoga com as produções do nosso tempo. Aqui não há concessões infantilóides pelo fato de ser dirigido fundamentalmente para as crianças. Os efeitos sonoros figurativos que se espalham pelas faixas ilustram e alegram as canções, mas não as reduzem a um plano débil. O coro das crianças, com sua natural afinação imprecisa, integra-se perfeitamente no arranjo como um todo. Guitarra, bateria, vibrafone, violão e baixo estão livres para desempenhar tudo o que for musicalmente preciso para a expressão específicade cada faixa. Paulo Tatit está por trás dos arranjos, além de presente em todas as composições, sete das quais em parceria com seu irmão Zé Tatit e duas com Arnaldo Antunes (uma delas, “A Nossa Casa”, também com Alice Ruiz, dentre vários letristas) — e vale ressaltar que o estilo poético e bem-humorado das letras da Palavra continua afiado.

A canção título “Um Minutinho” (com Zé Tatit) – uma versão moderna de Folia de Reis – merece uma consideração à parte, pelo achado da expressão que está na ponta da língua do nosso tempo, do neto à vovó moderna: um minutiiinho… que é o que respondemos diariamente ante a solicitação apressada e ansiosa do mundo que nos cerca. Estamos sempre em dívida com o tempo, afligimo-nos internamente com isso, e ainda nossos parentes nos apressam para os infindáveis compromissos. Interpretada perfeitamente pelas crianças Nicholas Torres e Dora Stroeter, a canção abre o disco anunciando a alegria e a criatividade que estará presente em todas as demais canções.

Três outras canções também comentam outros aspectos do nosso cotidiano: “Para Parar a Brincadeira” (Paulo Tatit), que observa a velha necessidade de guardar os brinquedos quando é chegada a hora. “Eu Sou um Bebezinho” (delicioso reggae de Paulo Tatit), sobre o bebê que quer toda a atenção pra si agora, “agora não, já!”; e “Agenda Infantil” (com Zé Tatit) que, como o nome já diz, chama a atenção para a educação mecanizada dos nossos filhos hoje em dia (atentem para a qualidade da interpretação do menino Nicholas Torres e para o coral infantil).

“Vem Dançar com a Gente” (Paulo Tatit), a mais pop e dançante do CD, michaeljacksoniana na veia, uma divertidíssima dança das caveiras, lá no mundo dos mortos; “Então Tá Combinado” (Paulo Tatit e Zé Tatit), sobre um grupo de crianças que se entende perfeitamente dentro de sua lógica fantasiosa, canção-tema de abertura do programa diário Quintal da Cultura, da TV Cultura – impressiona sobremaneira pela divisão rítmica; “Vambora, Tá na Hora” (Paulo Tatit), uma alegre viagem onomatopaica de carro, que nos remete a Woody Guthrie na versão do Grupo Rumo, “Vamos Passear de Carro”; “Passeando” (Paulo Tatit e Arnaldo Antunes), canta a felicidade de um cachorro pelas calçadas e postes das ruas; “Bolinhas de Sabão” (Paulo Tatit), brincadeira musical rítmica que agrada especialmente às crianças novinhas, e que fez parte do filme em 3D Brincadeiras Musicais, sucesso recente da Palavra Cantada nos cinemas.

Três canções de cunho eminentemente poético: “A Nossa Casa” já esteve presente no CD “Saiba” de Arnaldo Antunes, linda balada sobre a utopia de um lugar íntimo e aberto a tudo e todos, de rimas sutis e versos surpreendentes; “Esse e Aquela” (Paulo Tatit e Zé Tatit), viaja metaforicamente pela diferença do universo masculino e feminino desde sempre presente nas escolhas inocentes das crianças é dedicada aos educadores; e “Olha o Nenê” (Paulo Tatit e Zé Tatit), bossa de ninar que conta com a elegante presença de Fernanda Takai, o amor olhos nos olhos entre os pais e seu nenê que lhes re-ensina a ver o mundo.

Finalmente, a grande epopéia de “O Papagaio Reginaldo” (Paulo Tatit e Zé Tatit), um forró com mais de seis minutos que nos conta a saga do personagem diante da chegada devastadora do homem a seu habitat natural. A levada da sanfona e do violão, a dinâmica da interpretação a três vozes (Paulo, Estevão Marques e Daniel Ayres) e os efeitos sonoros prendem a nossa atenção para um terrível suspense engraçadíssimo, que desemboca num desfecho nada reconfortante.

Os trabalhos de Gui Kastrup na produção musical e de João Milliet na mixagem são primorosos, ajudando a fazer desse CD um novo clássico da Palavra Cantada. Sim, porque todos os CDs lançados até hoje, desde Canções de Ninar em 1994, continuam até hoje no catálogo.

Ouça Um Minutiiiinho!
http://soundcloud.com/palavra-cantada/sets/um-minutiiinho

Assista o clipe “Papagaio Reginaldo”
http://www.youtube.com/watch?v=LHCU4xd4znA&feature=plcp

Site:www.palavracantada.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.