Volta às Aulas: Como Tornar o Retorno mais Confortável para Crianças com Autismo

Alternar aulas com atividades virtuais e utilizar histórias lúdicas pode ajudar neste processo

Após quase dois anos de isolamento social, o retorno integral às aulas está previsto para acontecer em fevereiro. Algumas estratégias de readaptação são necessárias para que os alunos com Transtorno do Espectro Autista (TEA) sintam essa mudança de rotina de forma mais sutil. Para crianças com desenvolvimento atípico, que muitas vezes têm maior necessidade de seguir rotinas e previsibilidade, como as crianças com autismo, o retorno às aulas pode alcançar níveis de sofrimento.

Os responsáveis podem começar a introduzir com sutileza este retorno ainda em casa, através de brincadeiras, por exemplo, que simulem a ida à escola. Alternar dias de aula com atividades virtuais também é uma alternativa de adaptação à nova rotina das crianças. 

“Os pais podem começar iniciando a rotina da criança no horário que ela acordaria para a escola, colocando o uniforme mesmo para ficar em casa, respeitando o horário do recreio e da merenda, além de conversar bastante sobre os novos amigos e as professoras. Tudo de forma gradual e rotinizada. A transição pode ser feita com bastante calma, inicialmente combinando um período de adaptação progressiva com a escola, que vai aumentando a permanência da criança no espaço aos poucos. Se necessário, o processo pode ser acompanhado por um mediador”, destaca a neurologista Dra. Thais Demarco.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.