Brincar deste jeito com seu filho pode torná-lo mais criativo

Brincar deste jeito com seu filho pode torná-lo mais criativo

Nos países ocidentais, as crianças passam 20% de seu tempo na escola. Nos outros 80%, elas estão vivendo suas rotinas em diferentes lugares.  Segundo uma pesquisa da Pennsylvania State Universyti publicada em agosto de 2021, é possível transformar esses espaços do cotidiano em locais que também possibilitam a aprendizagem dos pequenos.

“Pesquisas sobre o desenvolvimento cognitivo mostram que atividades como ir a um parque, ao mercado ou mesmo cozinhar junto com a família, podem se converter em uma experiência de aprendizado engajado, ativo, de interação com o ambiente. Isso complementa o que a criança aprende em sala de aula”, explica Patricia Diodato, coordenadora pedagógica do Marista Escola Social Robru, na Zona Leste de São Paulo.

1 – Estimular o engajamento da criança na brincadeira

A participação ativa e o engajamento fazem com que os pequenos aproveitem ao máximo o que é oferecido pela atividade, seja ela qual for. Para isso, os pais podem fazer perguntas ou alimentar a imaginação dos filhos.

Se estiverem pintando com tinta, é possível propor combinações de cores. Se estiverem montando com blocos, desafiem-se para ver como empilhar o maior número deles sem que a torre despenque. Outros exemplos são estimular a contagem de itens quando forem ao supermercado ou imaginar que formatos têm as nuvens que vocês estão observando no parque.

2 – Incentive o interesse por novas informações

Aqui, o que conta é aproveitar temas que a criança já tem interesse para propor novos conhecimentos, seja sobre dinossauros, insetos, outros planetas, arte ou música. 

Vale fazer visitas a museus, bibliotecas e outros espaços culturais, além de planejar jogos e brincadeiras temáticas em que vocês falam sobre curiosidades e descobrem mais sobre os interesses da criança. Isso também as ajuda a conectar informações que sabem e construir conhecimento de mundo.

3 – Encoraje a sociabilidade e as descobertas divertidas

As crianças são cientistas natas, sempre se perguntando o que poderia acontecer se fizessem isso ou aquilo e experimentando até atingirem seus objetivos. Isso pode ser transferido para as brincadeiras que os pais realizam com elas.

Alguns exemplos são atividades de caça ao tesouro, que podem ser feitas em parques ou no quintal; experiências científicas caseiras; mímicas e jogos em que vocês improvisam cenas, músicas ou inventam palavras de um idioma próprio para se comunicarem.

Marista Escolas Sociais

Marista Escolas Sociais atende gratuitamente 7700 crianças, adolescentes e jovens por meio de 20 Escolas Sociais, localizadas em cidades de S...

Veja o perfil completo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *