Como Ajudar no Desenvolvimento do Seu Filho Brincando?

Psicólogo, pediatra e pedagogo: especialistas explicam a importância do brincar para o crescimento das crianças

Brincar é algo inerente ao universo infantil, mas também uma atividade e uma linguagem facilmente compartilhada entre adultos e cuidadores. O brincar é de grande importância para o desenvolvimento saudável na infância, seja em casa com grande quintal ou em apartamentos de 40m², já que as crianças têm maior capacidade de se adaptar do que adultos. Independente do tamanho do espaço, as crianças se sentem facilmente incentivadas por diferentes estímulos, pois tudo em volta é novo e gera curiosidade.

É desta forma que a criança desenvolve principalmente a oralidade e o conhecimento de si mesma, pois resgata o imaginário infantil e cria memórias afetivas para o resto da vida. “O brincar estimula habilidades emocionais e favorece o convívio em grupo e o respeito ao próximo, além de exercitar os grandes e pequenos músculos, que é a coordenação motora ampla e específica, pontos que são altamente importantes para o desenvolvimento do processo de leitura e escrita”, explica Sueli Oliveira, coordenadora pedagógica do Colégio Objetivo DF. Habilidades emocionais, autoconhecimento e o convívio com outras crianças são características favorecidas pelo processo do brincar.
 

Brincar no quintal ou no apartamento?
 

As famílias que têm a oportunidade de ter um quintal ou um lugar aberto em casa ou próximo de casa para que a criança possa correr, saltar, rolar, gritar e explorar seus sentimentos é ótimo para que os pequenos possam socializar e interagir com mais tranquilidade. “É nas brincadeiras mais expansivas que as crianças descobrem o que podem ou não fazer, onde podem ou não ir, e consequentemente lidam mais com as frustrações”, explica o psicólogo Fernando Machado.
 

“Quando falamos em crianças que crescem em apartamentos, é importante que os pais explorem as áreas de lazer também como ambientes de estímulo e resposta para essas relações com os colegas e com o espaço em que vivem. É possível estimular a brincadeira e o desenvolvimento em qualquer ambiente, basta prepará-lo”, diz o psicólogo clínico do Hospital Anchieta. Brincar faz a criança liberar todas as suas emoções e fazer novas descobertas em um mundo imaginário e real ao mesmo tempo.

 

A tecnologia pode prejudicar o desenvolvimento?
 

Nas palavras da pediatra Mádia Costa, as crianças que brincam em ambientes fechados e tem a tecnologia como principal distração são mais ansiosas e têm maior tendência à depressão. “Crianças que brincam na areia, ao ar livre, junto à natureza e aos animais principalmente, apresentam melhor desenvolvimento social, ao contrário das crianças que brincam em ambientes fechados, apartamentos. Com a tecnologia como principal fonte de distração há perda do desenvolvimento social, motor e psicológico. Nesse ambiente não existe troca e nem diálogo”, conclui a pediatra do Hospital São Francisco em Brasília.

A coordenadora pedagógica reforça ainda que há uma perda significativa no desempenho motor e no relacionamento social para as crianças que preferem os espaços digitais. “Um dos pontos negativos de tudo isso é o surgimento do egocentrismo e a falta de senso em repartir. É dever da família estimular toda forma de desenvolvimento e de proporcionar equilíbrio nas ações, seja com momentos ao ar livre e outros momentos no ambiente digital”, explica Sueli. Já o psicólogo Fernando explica que o efeito positivo do brincar está no desenvolvimento neuromotor cognitivo. “O estímulo que chega com o movimento do corpo estimula o equilíbrio e a força, além de estratégias de competitividade. Ou seja, brincar prepara a criança para a vida adulta”, conclui.

Fonte:

Sueli Oliveira, coordenadora pedagógica do Colégio Objetivo DF –

Psicólogo Fernando Machado –

Pediatra Mádia Costa do Hospital São Francisco em Brasília.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.