Enxaqueca está Ligada a Complicações na Gravidez?

Estudo que será apresentado na Reunião Anual da Academia Americana de Neurologia mostrou que a enxaqueca pode aumentar o risco de complicações na gravidez

Mulheres com enxaqueca podem ter um risco maior de complicações na gravidez, como parto prematuro e pressão alta gestacional (pré-eclâmpsia), de acordo com um estudo preliminar divulgado no final de fevereiro e que será apresentado na 74ª Reunião Anual da Academia Americana de Neurologia.

“Os pesquisadores também descobriram que mulheres com enxaqueca com aura podem ter um risco um pouco maior de pré-eclâmpsia do que mulheres com enxaqueca sem aura. As auras são sensações que vêm antes da dor de cabeça, muitas vezes distúrbios visuais, como luzes piscando. A pré-eclâmpsia envolve pressão alta com sintomas adicionais, como proteína na urina, durante a gravidez, o que pode ameaçar a vida da mãe e do bebê”, explica o Dr. Fernando Prado.

Aproximadamente 20% das mulheres em idade fértil sofrem de enxaqueca, mas o impacto da enxaqueca nos resultados da gravidez ainda não estava bem compreendido. “Esse grande estudo prospectivo encontrou ligações entre enxaqueca e complicações na gravidez que podem ajudar a informar médicos e mulheres com enxaqueca sobre os riscos potenciais dos quais devem estar cientes durante a gravidez”, diz o médico

Segundo o médico, além disso, ao analisar a enxaqueca com e sem aura, as mulheres que tiveram enxaqueca com aura tiveram 51% mais chances de desenvolver pré-eclâmpsia durante a gravidez do que as mulheres sem enxaqueca, enquanto aquelas que tiveram enxaqueca sem aura tiveram 29% mais chances. “Por outro lado, os pesquisadores descobriram que a enxaqueca não estava associada ao diabetes gestacional ou ao baixo peso ao nascer.

Embora os riscos dessas complicações ainda sejam bastante baixos em geral, as mulheres com histórico de enxaqueca devem estar cientes e consultar seu médico sobre os possíveis riscos da gravidez e meios de evitar os gatilhos envolvidos com a crise de enxaqueca”, comenta o Dr. Fernando. “Mais pesquisas são necessárias para determinar exatamente por que a enxaqueca pode estar associada a maiores riscos de complicações.

Enquanto isso, as mulheres com enxaqueca podem se beneficiar de um monitoramento mais próximo durante a gravidez, para que complicações como pré-eclâmpsia possam ser identificadas e tratadas o mais rápido possível”, finaliza o Dr. Fernando Prado.

Dr. Fernando Prado

Médico ginecologista, obstetra e especialista em Reprodução Humana. É diretor clínico da Neo Vita e coordenador médico da Embriológica. Douto...

Veja o perfil completo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.