Gravidez na real: Procedimentos estéticos para serem evitados por gestantes

Alerta sobre tratamentos estéticos contraindicados para as grávidas

Os procedimentos estéticos são diariamente procurados por diversas pessoas. Sempre que algo em nosso corpo ou face nos incomoda, a primeira ideia que vem a cabeça é fazer alguma mudança, mas nem sempre essa é a opção mais segura e indicada. E a dúvida que sempre fica entre as gestantes, é se elas podem ou não realizar alguns desses tratamentos estéticos.

A Biomédica, empresária e mãe, Dra Gabriela Silveira é especialista em Biomedicina Estética, em Cosmetologia, Biortomolecular, membro da Aesthetic Multispeciality Society, proprietária da clínica Slim Santé, soluciona dúvidas e alerta mulheres sobre os riscos de fazer tratamentos estéticos durante a gestação.

Gabriela revela que muitas mulheres buscam por esses tratamentos durante a gestação, principalmente aqueles que ajudam a prevenir estrias e celulites. “A gravidez traz diversas mudanças na pele, rosto e corpo que alteram a autoestima da mulher. É sim um dos momentos na vida que seria muito bom ter o apoio de alguns procedimentos estéticos que auxiliassem nesse ganho de autoestima, porém, é preciso ter cuidado para evitar complicações na gestação” .

As grávidas procuram por alguns desses tratamentos, mas a maioria deles se torna um grande risco quando feito por gestantes, como é o caso da Toxina Botulínica, indicada para amenizar linhas de expressão e rugas profundas; preenchimentos; sculptra; radiesse; intradermoterapia; radiofrequência; tratamentos injetáveis ou de aparelhos para gordura localizada; luz intensa pulsada; massagem modeladora; peelings químicos; peeling ultrassônico; entre outros.

Esses tratamentos devem ser evitados por conta das ondas eletromagnéticas que podem interferir na gestação e muitas vezes por induzirem processos inflamatórios que são benignos, mas que em gestantes podem não ser seguros. “A maioria dos procedimentos estéticos não são recomendados em gestantes, justamente pela falta de pesquisa científica em torno disso, já que é antiético fazer testes durante a gestação e colocar em risco a vida do bebê. Toda aplicação durante a gravidez pode trazer riscos de aborto”, relata a especialista.

Esses riscos são tanto para a gestante quanto para o bebê. Por conta das alterações hormonais durante a gestação, a mulher tem mais risco de hiperpigmentação ao fazer determinados procedimentos. Já para o bebê, o risco é de má formação e até óbito quando a mulher faz tratamentos à base de acido como é o caso do peeling. Segundo a Dra Gabriela, há relatos na literatura científica que comprovam o fato.

Mas afinal, pode algum tratamento estético?

De acordo com Gabriela, SIM! “Limpeza de pele com ativos mais naturais; drenagem linfática com cremes neutros e não estimulantes; Laser de baixa potência para controle de oleosidade e acne; Laser Elektra para fechamento de poros dilatados, por ser um laser de espectro mais específico e colimado”. Lembrando que antes de realizar qualquer procedimento, você deve falar com o seu profissional especialista responsável.

“Toda a gravidinha deve ter uma rotina adequada de skincare para que a pele não manche e para as acnes serem controladas. Podemos praticar atividade física e melhorar a circulação para evitarmos estrias junto com muita água e cremes específicos. Podemos cuidar da alimentação para evitarmos ganho de peso excessivo e celulite. Então podemos sim ter uma gestação com muitos cuidados, com muita autoestima, mas fazendo o que é seguro nessa fase e com muita paciência, se respeitando e respeitando esse momento que é tão lindo na vida”, finaliza a Biomédica.

Dra Gabriela Silveira

Especialista em Biomedicina Estética, em Cosmetologia, Biortomolecular, membro da Aesthetic Multispeciality Society – clínica Slim Santé

Veja o perfil completo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *