Hidratação diária desde o nascimento pode aliviar os sintomas da dermatite Atópica

Coceira, vermelhidão e pele seca são alguns dos sintomas da dermatite atópica, uma doença de pele que é muito comum e atinge em sua grande maioria as crianças. Hoje, cerca de 25% destas são acometidas pela Dermatite Atópica, enquanto 7% dos adultos podem apresentar algum sintoma, segundo dados da SBD – Sociedade Brasileira de Dermatologia. O Dia da Conscientização da Dermatite Atópica, comemorado em 23 de setembro, foi criado pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e pela Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI). O objetivo é alertar a população sobre os cuidados com a doença, como identificá-la e tratá-la.

A Dermatite Atópica é uma doença inflamatória crônica, um dos tipos mais comuns de alergia cutânea. Quem é acometido por ela tem uma diminuição da gordura de proteção da pele e, consequentemente, um prejuízo na hidratação. “A criança com dermatite atópica tem pele muito seca e toda pele seca coça, e quando coça gera as famosas irritações e vermelhidões chamadas de eczemas. Atrás dos joelhos e nas dobras de cotovelos são as áreas mais acometidas”, explica a pediatra alergista, Dra. Patrícia Fábregas.

Segundo a especialista, a Dermatite Atópica pode ser causada por vários fatores. Alguns casos são genéticos, outros podem estar ligados às doenças respiratórias alérgicas como asma ou rinite, mas o que define os períodos de crise são os fatores externos como contato com ácaros da poeira, animais, mudança de temperaturas, alimentação e até estresse. “É preciso estar sempre atento às causas que agem no estímulo das crises. Agir de modo preventivo para evitar crises e melhorar a qualidade de vida do bebê ou criança é essencial”, diz a especialista.

Alguns cuidados podem ser tomados. Evitar o uso de tecidos sintéticos ou sabões tradicionais, preferir banhos curtos e mornos, e hidratar a pele são alguns deles. “Existem sabonetes próprios para dermatite atópica. Depois do banho, o ideal é secar sem atrito com uma toalha macia e, ainda com a pele úmida, aplicar um hidratante específico, que além de hidratar tem propriedades anti-inflamatórias”, declara Dra. Patrícia.

A dermatite atópica não tem cura, mas pode ser bem controlada com uma hidratação cutânea adequada desde o nascimento. E para cuidar da pele infantil, naturalmente frágil, cuidados específicos são importantes. Desenvolvida especificamente para cuidar da pele de bebês e crianças, a Mustela®, primeira marca Dermo-Bebê no Brasil, tem dermocosméticos para tratar a dermatite atópica, a linha STELATOPIA®. Os produtos contam, em média, com 94% de ingredientes de origem natural e são seguros para usar desde o primeiro dia de vida do bebê.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.