Hora da Soneca: Travesseiro e Colchão são essenciais

Investir em modelos que protejam seu filho de alergias e evitem dores e desconfortos durante a noite podem fazer toda a diferença para a qualidade do sono de toda a família

Sabe aquele choro que surge instantes depois de o bebê adormecer? Ou aquelas noites em que o pequeno acorda várias vezes mesmo bem alimentado? Pois a resposta para o problema pode estar em detalhes como o colchão ou o travesseiro. Essenciais para o descanso dos adultos, estes itens também são determinantes para a qualidade do repouso no início da vida, ajudando a prevenir desde pequenos desconfortos, como dores e alergias, até riscos de eventos mais graves, como refluxo, sufocamento e problemas na coluna.

“Até os três anos de idade, passamos muito mais tempo dormindo do que em outras fases da vida. O corpo frágil do bebê precisa de uma superfície acolhedora, sua cabeça tem pontos sensíveis e a coluna está em desenvolvimento e demanda cuidados constantes. Por isso é tão importante que o colchão e o travesseiro sejam adequados”, explica Fernando Cataldo, consultor especializado da Euro Colchões.

Caso estes pontos não recebam a devida atenção, a criança pode apresentar problemas posturais, hérnias de disco e até dores no nervo ciático, o que se reflete em sua qualidade do sono e impacta toda a família. Afinal, quando o bebê dorme melhor, todos na casa passam a ter um repouso de qualidade e com menos interrupções.

“O colchão de bebê deve ter espuma de densidade 18 e maciez suficiente para se moldar a um corpo de menos de 30 quilos. Os modelos de mola não são recomendados, pois a criança ainda não tem peso suficiente para afundar sua estrutura e a impulsão durante os movimentos pode resultar em acidentes“, esclarece Cataldo.

Já a posição ideal para o sono nessa fase da vida é de barriga para cima, pois dormir de bruços dificulta a respiração e neutraliza os movimentos dos braços, gerando o risco de sufocamento. Outro ponto importante é que não se deve usar travesseiros nos 12 primeiros meses. Após esse período, o ideal é buscar um modelo que seja levemente inclinado, para evitar engasgos. “Existem algumas características que um bom travesseiro para bebê deve reunir: espuma antipressão, furos antissufocamento e um formato côncavo para impedir que ele se vire para os lados durante a noite”, resume.

De olho na alergia

Outro fator fundamental para a qualidade do sono dos bebês são os agentes alergênicos. Como as crianças são muito sensíveis ao contato com eles, é importante investir em itens e tecnologias que protejam os pequenos. No caso dos travesseiros, isso pode ser feito com um bom protetor, capaz de impedir que mofo, poeira, pelos de animais, ácaros e outras impurezas prejudiquem o sono. Já quando o assunto é colchão, deve-se evitar modelos que usam produtos químicos, afinal os bebês têm a pele muito sensível e podem desenvolver irritação aos materiais.

“O EuroBaby possui a tecnologia exclusiva Europrobiotic, que utiliza probióticos vivos para impedir de forma natural a multiplicação dos agentes causadores de alergia. Ou seja, eles combatem o problema sem colocar a saúde do seu filho em risco. Nossa linha para bebês ainda conta com o travesseiro Baby Visco e o protetor Baby Proactive, que formam um pacote completo para oferecer o melhor sono para os pequenos”, completa Cataldo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.