Imunização deve Ser Prioridade para Iniciar o Ano Letivo, Orienta Especialista

Cartão vacinal atualizado é necessário para evitar outras doenças na fase de retomada do calendário estudantil

Com a volta às aulas no próximo mês, as instituições de ensino já se preparam para o retorno das atividades presenciais. Apesar da reabertura das escolas ser uma etapa importante para o desenvolvimento dos estudantes, especialistas destacam que ainda há incertezas com relação ao futuro da pandemia e, neste momento, cuidar da saúde é essencial para uma retomada segura.

Em dois anos de pandemia, muitos cuidados com a saúde foram postergados. A procura por vacinas, por exemplo, foi adiada diante das medidas de isolamento para prevenção. No entanto, deixar de se vacinar momento adequados pode abrir uma janela para surtos de doenças graves, como o sarampo, por exemplo, erradicado no Brasil, desde 2016, quando o país recebeu a certificação de eliminação da doença, perdido em 2018, quando o vírus causador da infecção voltou a circular e mais de 10 mil casos foram confirmados. Em 2020, o total de casos reduziu para 8 mil, mas as autoridades de saúde associam a queda ao isolamento social.

Agora, com a retomada das atividades econômicas e das aulas, o zelo com a saúde, entre eles a atualização do cartão de vacina, são fundamentais. “Os cuidados devem ser adotados de forma integral e isso acontece de dentro para fora. Para estar bem, saudável e seguro, é importante cuidar da nossa saúde e uma vez imunizado estaremos protegidos contra os micro-organismos (vírus ou bactérias). Nosso sistema imunológico agradece. É ele que produz anticorpos que protegem nossas células de defesa no combate aos agentes infecciosos que causam doenças”, explica a gerente médica de Imunização do Grupo Sabin, Ana Rosa Santos.

Além disso, destaca a especialista, tão importante quanto vacinar as crianças é manter este cuidado ao longo de todos os ciclos da vida. “Interromper o esquema vacinal deixa o organismo suscetível e desprotegido. No caso da gripe, por exemplo, a composição da vacina é atualizada todo o ano com os vírus circulantes, para garantir efetividade e eficácia do produto, por isso, é imprescindível estar com o esquema vacinal atualizado para que o organismo consiga produzir anticorpos para garantir imunidade e combater os agentes infecciosos”.

Cuidado com a imunidade deve ser adotado em todas as fases da vida

A médica lembra ainda que existem vacinas para todas as idades. Mesmo aquelas pessoas que não tenham recebido o esquema completo com todas as doses do imunizante, ou seja, que exigem mais de uma aplicação, devem completar conforme o calendário preconizado. “Não é necessário repetir as doses já aplicadas, basta completar o esquema. O importante é levar o cartão de vacinação para ser avaliado pelo profissional de saúde”, orienta.

Outro cuidado importante é o intervalo entre vacinas diferentes. Crianças que tomaram outro imunizante recentemente devem aguardar 15 dias entre uma vacina e outra. Dra. Ana Rosa reitera também que não é hora de abrir mão de atividades como exercícios físicos, alimentação saudável, consultas e os exames recomendados pelos médicos. Essas atitudes auxiliam a reduzir o risco de outras doenças e melhoram a qualidade de vida. “É importante que a população esteja atenta aos cuidados que impactam diretamente, não apenas na vida dos pacientes e seus familiares, mas também toda a coletividade. Essa atenção à imunização contribui também para reduzir a pressão sob o sistema de saúde. Todos saem ganhando.

Vacinação: sinônimo de cuidado individual e coletivo

Considerada uma das mais importantes intervenções em saúde, a vacina é grande aliada do combate e do controle de doenças em todo o mundo. Desenvolvidas há mais de 200 anos, são responsáveis por grandes avanços na erradicação, eliminação e controle de doenças, ajudando a salvar vidas, diminuir mortalidades, morbidades, hospitalizações, além de evitar e diminuir sequelas mundo afora.

No Brasil, as primeiras vacinas foram aplicadas em 1804, para combater a varíola. A doença registrou os últimos casos no país em 1971 e foi erradicada graças à vacina. Desde 1973, quando foi criado o Programa Nacional de Imunização, os calendários vacinais e as campanhas estimulam a procurar os postos e unidades de atendimento para garantirem proteção. No entanto, a pandemia de Covid-19 causou redução na procura pelos postos de vacinação e, em consequência, a proteção da população contra doenças que podem ser prevenidas foi impactada com redução das coberturas vacinais.

Diante disso, o Grupo Sabin lançou o movimento #Vacina em Dia, que convida todos a se unirem na missão de conscientizar e disseminar informações seguras sobre as vacinas e a importância de manter o esquema vacinal atualizado. A intenção é mostrar que, com o cartão vacinal em dia desde o começo da vida e ao longo dela, é possível manter-se mais protegido contra as formas mais graves de muitas doenças, como: poliomielite, tétano, tuberculose, coqueluche, rubéola, sarampo, hepatite, pneumonia, meningite, entre outras.

“O #Vacina em Dia é uma forma de incentivar os cuidados com a proteção, principalmente das crianças e adolescentes, que aos poucos estão retomando suas atividades e hábitos e podem ficar expostas a vírus e bactérias. Exposição que pode ser evitada com vacina. É proteção hoje para uma vida saudável e livre de doenças. A vacina é um avanço científico e tecnológico que há anos salva vidas e aumenta consideravelmente a longevidade da população”, conclui a médica.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.