Férias Escolares: 3 Brincadeiras para Tirar os Pequenos do Tédio

Além de garantir diversão, algumas brincadeiras contribuem para o desenvolvimento infantil

Pensar em programas fora de casa durante as férias escolares não é complicado. Mas, em tempos pandêmicos, o que fazer com as crianças em casa exige criatividade dos adultos, já que elas têm energia de sobra.

Muitas vezes, a falta do que fazer abre espaço para o tédio e a irritabilidade dos pequenos, que pode resultar em choro e frustração. Então, para evitar que as férias sejam desastrosas, Marina Pedrosa, coordenadora da Educação Infantil e 1º Ano do Colégio Augusto Laranja, destaca três brincadeiras que vão garantir diversão e, de quebra, cooperar para o desenvolvimento infantil.  

Desenhar

Desenhar com os pequenos pode ser muito mais divertido e educativo do que se pode imaginar. Contudo, já pensou em permiti-los desenhar no box e azulejo do banheiro?

Se ainda não, essa é uma boa dica para tornar o momento do banho uma verdadeira diversão. Então, em vez de lápis, canetinhas ou giz de cera comum, usa-se giz de sabonete, que pode ser comprado em supermercados ou lojas de brinquedos. Providenciado o material, é só aproveitar o momento e deixar a criança à vontade para ilustrar a sua imaginação. No final, basta ligar o chuveiro e ‘cair’ no banho!

“Desenhar vai além de uma distração e passa a ser uma importante atividade para o desenvolvimento cognitivo, motor e criativo”, ressalta a coordenadora.

Pegando o embalo do desenhar, que tal usar tinta guache? Sem pensar na sujeira, a recomendação é se divertir junto com a criança. Separe um cômodo da casa, forre o chão com uma toalha plástica, jornais velhos ou lona, pegue algumas cartolinas, tintas e pincéis. Para iniciar a brincadeira, pinte as mãos e os pés dela e mostre que ela fez um carimbo usando partes do corpo. Com as palmas e pegadas na cartolina, agora é só aproveitar o momento e deixá-la livre para desenhar, pintar e rabiscar.

Dobraduras

Em uma era na qual a tecnologia faz parte do cotidiano das crianças, voltar a fazer brinquedos de papel pode ser muito divertido e, sem dúvida, uma boa alternativa para prender a atenção delas.

Então, em vez de brincar com um barquinho de controle remoto, que tal construir um de papel? Faça junto com a criança os barcos (há diversos tutoriais na internet), coloque-os em uma bacia com água e está garantida a diversão! Você pode aproveitar os tutoriais e fazer diversas dobraduras como: avião, chapéu, animais, entre outros. “O importante é chamar as crianças para fazer parte do processo da elaboração de cada objeto representado pelas dobraduras . Isso, além de divertido, ativa o imaginário, abrindo espaço para a criatividade e a concentração”, ressalta Pedrosa.

Cozinhar

A cozinha também pode ser um ambiente de muita diversão e aquisição de conhecimento. Sendo assim, no lanche da tarde, por exemplo, em vez de deixar o pequeno longe da cozinha, convide-o para ajudar e fazer parte do  preparo dos alimentos. 

E, para tornar esse momento mágico, providencie o figurino de chefe de cozinha (avental e chapéu) e separe a receita. O ideal é que seja um prato como: cookie, minipizza, gelatina colorida, bolo, entre outros.

Feito isso, mãos na massa! Longe dos riscos, como facas e fogo, separe todos os ingredientes da receita e peça ajuda do pequeno para colocar no recipiente e mexer. Enquanto vocês preparam o alimento, o simples ato de contar a quantidade de ovos ou colheres de açúcar traz aprendizado.

Ou seja, levar as crianças para a cozinha e deixá-las fazer parte do preparo das receitas é um ótimo passatempo. Torna-se também um momento propício para incentivá-las a experimentar novos sabores e alimentos. Além disso, de acordo com a especialista, essa interação fortalece o vínculo afetivo e ajuda também no desenvolvimento emocional. 

Para a especialista, brincar, sorrir e se divertir devem ser hábitos rotineiros. “Os estímulos que provocam a felicidade não só fazem bem para a saúde emocional dos pais e filhos, como também para a saúde física como um todo. Portanto, a dica é encontrar formas e tempo para interagir e se alegrar com os pequenos, seja no período de férias ou até mesmo em um curto intervalo na rotina, entre um afazer e outro”, conclui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.