Nova opção de tratamento para Crianças que vivem com HIV

Os pacientes acima de 6 anos, com peso superior a 20kg, a ANVISA liberou a recomendação do uso do Tivicay (dolutegravir 50mg) para o tratamento do HIV pediátrico no Brasil. Anteriormente, o medicamento era indicado apenas para pessoas que vivem com HIV acima de 12 anos (com peso superior a 40kg).1 Com essa ampliação da faixa etária, teremos mais um medicamento disponível que irá ajudar as crianças que vivem com HIV a terem uma melhor qualidade de vida, serem saudáveis, e viverem de forma plena, enfatiza Dr.Rafael Maciel, gerente médico da GSK/ViiV Healthcare.

No Brasil, milhares de crianças são infectadas pelo HIV, segundo o relatório do Ministério da Saúde – Relatório de Monitoramento Clínico do HIV- foi observado um aumento de 14% na faixa etária de crianças de 2 a 11 anos que vivem com HIV no início tardio ou não início do tratamento com antirretroviral, comparando 2009 com 2020.

Para a grande maioria das pessoas que vivem com HIV, ainda segundo os dados do Relatório, a meta cascata 90-90-90, estipulada pela UNAIDS, que visa levar testagem e tratamento do HIV ainda está longe de ser atingida e a redução da carga viral em seus organismos a níveis indetectáveis. Em 2019, 83% das crianças de 5 a 8 anos que vivem com HIV foram diagnosticadas, destas 72% estão em tratamento, das quais apenas 58% estão com carga viral indetectável. Já na faixa etária de 9 a 12 anos os valores são de 86% estão diagnosticadas, destas 75% estão em tratamento, das quais 63% apresentam carga viral indetectável.5 9.

O tratamento do HIV pediátrico apresenta desafios e requer muitos cuidados, segundo o Dr. Rafael Maciel. "Um dos principais obstáculos que enfrentamos no tratamento de HIV em crianças é a restrição nas opções de medicamentos.

A boa adesão à terapia antirretroviral traz grandes benefícios, entre outros fatores, a ampliação da expectativa de vida e o não desenvolvimento de doenças oportunistas.

O antirretroviral Dolutegravir 50 mg é considerado um dos mais modernos do mundo para o tratamento do vírus, apresentando taxas significativas de supressão viral, além de possuir menor risco de descontinuação de uso devido a eventos adversos.

Material dirigido ao público em geral. Por favor, consulte o seu médico. GSK/ViiV Healthcare – Dr. Rafael Maciel, gerente médico da GSK/ViiV Healthcare.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *