Secreções vaginais durante a gravidez

Algumas secreções são comuns na gravidez e não necessitam de nenhum cuidado, mas existem outras que funcionam como sinais de alerta e devem ser observadas pelo médico.

Durante a gravidez, o corpo da mulher passa por inúmeras mudanças. É comum notar alterações físicas, hormonais e também psicológicas. Todas essas novidades acabam preocupando as futuras mamães, cheias de dúvidas e ansiedades pela espera do bebê. As secreções vaginais assustam e confundem, pois algumas são normais e outras são sinais de alerta para as gestantes.

O aumento das secreções vaginais é normal na gravidez. A maior parte é benigna e fisiológica. No começo da gestação o muco tem um aspecto leitoso e quase sem odor. A mudança na secreção é normal conforme os meses passam e se intensifica no 2º e 3º trimestre da gestação. Para que a gestante mantenha uma higiene segura ela deve: usar sabonete neutro, não fazer ducha vaginal e usar sempre roupas confortáveis.

Outras secreções requerem cuidados e providência da gestante, como o líquido amniótico, que está dentro da bolsa em que o feto está mergulhado. Se a grávida desconfiar que está perdendo esse líquido, ela deve procurar atendimento médico, que identificará se esse é o caso.

No decorrer na gestação as secreções vaginais vão se depositando no colo do útero formando um tampão mucoso, uma “tampa” que impede que as bactérias da vagina cheguem ao útero. No final da gravidez ele será expulso, um sinal de que o corpo da mulher está se preparando para o nascimento do bebê, o que não significa que o parto será logo – isso varia de gestante para gestante.

O corrimento marrom ou sanguinolento também é motivo de preocupação, as causas do sangramento na gestação dependem do período em que ela se encontra. No começo pode ser uma ameaça ou aborto em andamento. Com a gestação mais adiantada se houver dor e contração, pode ser o deslocamento da placenta. Em qualquer uma dessas situações a gestante deverá procurar o médico.

O único momento que pode ser comum ao sangramento é durante o trabalho de parto. Durante toda a fase de dilatação, o colo do útero começa a afinar e alargar, podendo sangrar. Um acompanhamento sério e um pré-natal completo são essenciais para evitar esses sustos durante a gravidez.

Algumas secreções podem não ser naturais na gravidez e necessitam de tratamento. Durante todo o período da gestação, a vagina sofre alterações e está mais suscetível a apresentar infecções. As características são facilmente reconhecidas e o médico deve ser imediatamente consultado para indicar o tratamento ideal e evitar problemas. Se as gestantes sentirem dor nas relações sexuais, corrimento com odor forte e cor (acinzentada, esverdeada), ardor vaginal e incômodo, pode ser sinal de uma infecção, como candidíase (infecção muito comum na gestação), vaginose, trichomonas e clamídia.

Mulher grávida sentada no vaso sanitário - foto: Yuriy Rudyy/ShutterStock.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *