Será que devo fazer de meu filho é um artista?

Para evitar decepção e cobranças desnecessárias é importante que os pais não projetem na criança um sonho ou desejo que são seus

Todo pai e toda mãe sonha em ver seu filho brilhando nas passarelas, na televisão e na capa de revistas. Eles vêem seus filhos como artistas em potencial. E as crianças são mesmo verdadeiras estrelas: espontâneas, engraçadas, extrovertidas. Então, que tal investir nessa carreira?

A vida de artista não é fácil. Será que o sacrifício compensa? Bom, cada caso é um caso e existem várias questões a serem estudadas.

Muita criança realmente sonha em entrar no circuito fashion ou virar uma estrela da TV. Mas, na maioria dos casos, são os pais quem incentivam e levam a criança para uma agência especializada em modelos e manequim ou para fazer um curso de teatro para a formação de atores.

Na verdade, não há nenhum mal em incentivar os filhos. Essa é uma forma de a criança descobrir seu potencial artístico e trabalhar fatores como a inibição, a criatividade e a imaginação. Manifestar interesse de seguir uma carreira artística faz parte do sonho infantil e é muito saudável.

Criança segurando uma claquete - Foto: Carbonell/ShutterStock.com

No curso de teatro, por exemplo, a criança tem a oportunidade de ser admirada e aplaudida, além de ter um aprendizado artístico e cultural. Na verdade poucas delas acabam se tornando artistas profissionais, porém, todas levam para a vida um importante aprendizado.

Mas o que acontece se a criança não tem o perfil para se tornar modelo ou ator? E se produzir um book fotográfico e nunca for selecionada para nenhum trabalho? O mais importante é não deixar que a criança saia frustrada dessa experiência.

Por isso, os pais precisam explicar para a criança que ela fazendo um curso de teatro para se divertir, aprender a representar, se desinibir, estimular a criatividade e não para entrar para a novela das 8.

Submeter a criança a testes eliminatórios para uma campanha publicitária, por exemplo, também pode ser perigoso. Se ela tem um sonho e é rejeitada, provavelmente vai sofrer as consequências da decepção.

Para as agências de modelo e manequim valem as mesmas dicas. Se a criança manifestar alguma vontade de participar de desfiles, por exemplo, os pais podem procurar uma agência especializada, mas é preciso ter cuidado para não iludir a criança ou criar qualquer expectativa.

Agora, se a criança não tem nenhuma vontade de representar, fotografar, desfilar, esqueça o assunto. Especialmente porque alguns trabalhos podem ser cansativos para os pequenos e exigem muita disciplina. Considere também que esses trabalhos duram horas, portanto a criança e os pais precisam ter tempo disponível.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.