Uma dieta saudável pós-parto, nutrição para mães que amamentam

Uma dieta saudável pós-parto, nutrição para mães que amamentam

Uma alimentação rica e nutritiva pode trazer inúmeros benefícios tanto para a mamãe quanto para o bebê

Imaginar o rostinho, o toque, o cheiro, sonhar com a chegada e com todos os detalhes de uma nova vida que virá para transformar tudo em novo e mágico. O período da gravidez é um dos momentos mais especiais na vida de uma mulher. São inúmeros planos, sensações e também algumas preocupações. Cuidar de um serzinho, se preparar para ser o porto seguro de alguém totalmente ligado a você, essa é uma fase que traz várias expectativas e demanda muito cuidado e atenção.

As mulheres que se tornam mamães são automaticamente transportadas para um novo mundo, cheio de cores, sorrisos e aprendizados. Nessa etapa da vida, além dos cuidados com os bebês, as mamães também precisam estar atentas à sua saúde, buscando por uma alimentação rica e nutritiva, o que no caso daquelas que amamentam, trará duplos benefícios, ou seja, será bom tanto para a mamãe quanto para seu filhote.

Os superpoderes do leite materno

As pesquisas revelam um resultado unânime: o aleitamento materno é uma das principais formas de se prevenir possíveis doenças como alergias ao longo da vida. Além disso, a amamentação estreita ainda mais os laços maternos, tornando o vínculo das mães com seus filhos mais forte, portanto, algo valioso tanto do ponto de vista emocional quanto do nutricional.

O leite materno tem todas as substâncias e vitaminas na quantidade certa que o bebê precisa para crescer e se desenvolver sadio. Composto por água, gordura e açúcares, o leite é rico em vitaminas, sais minerais e até substâncias anti-inflamatórias. Se você é uma das mamães de plantão que nos acompanham, saiba que o leite que você produz é capaz de ter sua composição modificada conforme o crescimento e saúde do seu filhote. Incrível como a natureza do nosso organismo é perfeita, não é?

De acordo com estudos realizados em torno da amamentação e dos poderes mágicos do leite materno, se seu filho tiver uma infecção, por exemplo, o líquido passará a desenvolver anticorpos e substâncias que poderão estimular o sistema imunológico do bebê, permitindo que ele recupere ainda mais rápido sua saúde.

Segundo especialistas, os benefícios que o leites materno traz não estão limitados apenas à fase da infância. A amamentação é capaz de prolongar seus ganhos ao longo da vida adulta, tornando-se um fator importante capaz de diminuir as chances de desenvolvimento da obesidade e de aumentar os níveis de QI.

Mas engana-se quem acha que só os pequenos são os beneficiados com a fase a amamentação. As mulheres passam a estar mais protegidas contra o câncer de ovário e de mama. De acordo com estudos realizados, isso acontece porque a lactação induz um padrão hormonal único associado a um período de amenorreia (ausência de menstruação), o que reduz a exposição da mulher a variações hormonais associadas a esse tipo de doença.

Nutrição saudável na amamentação

O ato de amamentar é um forte aliado na recuperação de peso das mamães, permitindo que ela volte para o corpo da fase de pré-gestação mais rapidamente. Para que isso ocorra é importante que os hábitos saudáveis de alimentação da gravidez sejam mantidos.

Grãos, cereais integrais, frutas, verduras e alimentos que sejam fontes de proteínas, cálcio e ferro estão entre as principais dicas sobre o que comer. Um bolo, uma massa, aquele docinho irresistível da padaria pertinho de casa, enfim, uma ou outra guloseima não fará mal, afinal, ninguém é de ferro, não é mesmo?

Para facilitar a recuperação da forma física é importante que as mamães evitem as bebidas alcoólicas, chás mate e preto, bebidas gaseificadas e refrigerantes a base de cola, comam sempre devagar, mastigando e saboreando bem os alimentos. Deixe o celular de lado, responda o e-mail do chefe que está perdido na empresa sem você depois. É hora de estar presente no seu momento de se alimentar e cuidar de si!

Outra dica é sempre comer a salada antes da refeição principal, isso porque você ficará mais saciada e os riscos de abusar na quantidade dos próximos alimentos diminuirão. Saiba também que não pular as refeições é essencial, pois as reservas de energia do nosso corpo se esgotam e quando isso ocorre, perdemos massa muscular e acumulamos gordura na região abdominal.

De repente sua vida é outra, várias atividades durante o dia, mal sobra tempo para pensar em você mesma? Por mais que a gente se prepare para a maternidade, tenha escutado durante toda a vida nossas mães, avós, tias e amigas contando como é essa nova experiência, como o dia a dia torna-se corrido, só sabemos de verdade que momento é esse quando realmente o vivemos.

Nossa dica é que você respire fundo, o novo às vezes causa insegurança, mas pode ser surpreendentemente delicioso. Essa é mais uma daquelas fases que deixará uma lembrança doce na memória e uma vontade enorme de voltar no tempo. Concilie os cuidados com seu bebê com os cuidados com você mesma, uma boa alimentação, por exemplo, pode oferecer a você muito mais energia, além de melhorar sua autoestima, você vai sentir que está fazendo coisas por você também, que está se cuidando, que está consumindo alimentos que trarão benefícios para o seu corpo.

Pensando nisso, outra dica é que você trabalhe o hábito de, sempre que possível, fazer um lanchinho nutritivo, uma vitamina, uma fruta, castanhas, uma tapioca com queijo, enfim, há várias opções nutritivas, saborosas e bem rápidas de preparar um pit stop alimentar. Essa atitude poderá fazer com que você tenha mais energia e que sua fome esteja controlada, mantendo longe aquela vontade insaciável de comer um hambúrguer bem no meio da tarde.

Vale lembrar que não é recomendável começar a fazer dieta enquanto o bebê tem menos de 2 meses. O mais indicado é perder peso aos poucos, por meio de uma alimentação saudável combinada a uma rotina de exercícios físicos.

Se é bom para mamãe, é bom para o bebê

Durante a amamentação é recomendado que alguns alimentos sejam consumidos e outros evitados. O consumo de gorduras saudáveis, por exemplo, é considerado benéfico para o bebê. Nessa categoria, inclua no cardápio abacate, azeite, castanhas, sementes e peixes gordurosos como o salmão.

A boa e velha comidinha caseira é e sempre será a melhor pedida. Faça escolha de alimentos que sejam minimamente processados. Dê preferência para aquele arroz e feijão fresquinhos e feitos em casa, além disso, inclua na alimentação carnes, ovos e verduras.

Durante a amamentação é bom evitar gorduras saturadas como frituras, manteiga e gordura vegetal. É importante lembrar que alguns adoçantes são proibidos para grávidas e lactantes por oferecerem riscos ao bebê. Entre eles está o aspartame, cujas pesquisas ainda não comprovaram sua segurança.

Bebidas que têm cafeína em sua composição como o café, chá preto ou mate, energéticos, refrigerantes e o até mesmo o chocolate devem ser consumidos em pequenas quantidades. A substância pode fazer com que o bebê se sinta irritado, outro malefício da cafeína são as temidas cólicas que seu filhote pode ter.

Excesso de feijão, brócolis, couve-flor, repolho e/ ou batata doce, estão na lista de alimentos que podem ocasionar em gases intestinais e, por isso, não devem ser consumidos todos de uma única vez.

Use e abuse da água, além de contribuir para a produção de leite, ela te manterá hidratada e trará outros inúmeros benefícios como uma pele bonita, um cabelo brilhante, entre várias outras vantagens.

Em relação às bebidas alcóolicas, o melhor é evitá-las ou tomar um pouquinho só em ocasiões especiais. Confie na sua observação, determinados alimentos podem causar incômodos ao seu bebê. Se seu filho sentiu-se mal após você ter ingerido alguma coisa, observe, faça o teste outra vez. Se o mal estar se repetir, o melhor a fazer é cortar o alimento ingerido.

Se seu filhote for a alérgico a algo que você consumiu, ele poderá ter uma reação cutânea, um incômodo respiratório (um barulho parecido com um apito ao respirar, ou congestão) ou fezes alteradas. Se isso persistir, o melhor a fazer é procurar a avaliação de um pediatra.

Fugindo um pouco do campo da alimentação, outra dica é: seja solar, aproveite o que a luz do sol pode oferecer de bom. A vitamina D é fundamenta e importantíssima para ossos saudáveis, tanto para si como para o seu bebê. Esse elemento é obtido principalmente por meio da exposição solar. Caso você viva em um local onde não haja muito sol, especialmente durante o inverno, o seu corpo pode ter dificuldade em produzir vitamina D suficiente, por isso, os suplementos são recomendados, mas isso só o seu médico poderá te indicar.

Essas foram as nossas dicas para você que está vivendo essa fase tão linda e especial. Esperamos que você possa curtir cada momento da maternidade e que aproveite nossas sugestões para tornar esse momento ainda mais leve, pleno e feliz. Viva e sinta cada toque, cada olhar, cada sorriso, cada descoberta. São fases como essa que tornam as nossas lembranças um histórico real de doces histórias.

Lorene Lima

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *