Afogamento é a Segunda Causa de Óbito de Crianças de 1 a 4 Anos

50% dos casos acontecendo dentro de casa
Homens são as maiores vítimas de afogamento no Brasil, 7 em cada 10 mortes

A cada uma hora e meia, um brasileiro morre afogado. Deste número, 59% das mortes na faixa de um a nove anos de idade ocorrem no ambiente familiar como piscinas ou cisternas. Segundo o último boletim epidemiológico divulgado pela Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático – Sobrasa, principal entidade de prevenção e salvamento aquático do país, 15 pessoas morrem diariamente vítimas de afogamento, uma a cada 90 minutos. Crianças entre 1 e 4 anos de idade estão entre as principais vítimas, uma vez que os afogamentos são a segunda causa de morte nessa faixa etária e 50% ocorrem dentro de casa.

Pensando em como prevenir esses acidentes, que em sua maioria acontecem dentro do ambiente familiar, a Sobrasa em parceria com a DHL, principal empresa de logística do mundo que investiu R$ 2 milhões no projeto e que vai ajudar a ampliar as ações da ONG, promoveu evento de lançamento da parceria na última terça-feira no Rio de Janeiro.
 

O fundador da Sobrasa e médico intensivista David Szpilman diz que a parceria é o maior apoio já recebido pela Sobrasa desde a sua fundação e traz vantagens como ampliação de quatro projetos e extensão do acesso a iniciativa para outros estados além do Rio de Janeiro.
 

 “Todo mundo tem uma história ligada a afogamentos ou conhece alguém. Qualquer fonte de água, até mesmo um balde, pode ser potencialmente perigoso se houver uma criança pequena próxima a ele. O enfrentamento dessa endemia que todos os anos mata milhares de brasileiros se torna mais simples quando há conscientização e quando as pessoas estão preparadas para agir corretamente diante de uma emergência”, destaca o médico, que é referência mundial no assunto.

Para Patrícia Starling, vice-presidente comercial da DHL Express, a parceria fortalece a política da empresa em atuar em projetos sociais de grande relevância. “Com o calor de um país tropical como o Brasil, é normal que as pessoas desfrutem da água para banho, seja para o lazer ou até mesmo para a prática de esportes aquáticos em piscinas, mar, lagos e rios. Por isso tornou-se fundamental agir em prol da prevenção de uma tragédia. Estamos muito satisfeitos com a parceria firmada”, afirma.

Cultura de prevenção

A Sobrasa atua com o apoio de colaboradores treinados em salvamento aquáticos, que atuam como multiplicadores ao repassar seus conhecimentos adiante em escolas e instituições diversas. Com o apoio da DHL Express, quatro programas serão expandidos:

Kim na escola

Programa inédito no Brasil, ensina a crianças de 5 a 12 anos de idade como se relacionar com a água de forma mais segura, evitando o afogamento e atuando como multiplicadores dessas informações junto aos pais e responsáveis. O programa contempla palestras em escolas públicas e particulares do 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental, administradas por guarda-vidas portando equipamentos básicos de resgate e salvamento. O vídeo, em desenho animado com duração de cinco minutos, mostra conteúdo de prevenção em praias, águas doces (rios e piscinas) e inundações são seguidos de um Quiz que estimula o aprendizado do material exibido. Ao final, gibis educativos são entregues aos participantes.

Piscina + Segura

As piscinas são responsáveis por 53% de todos os casos de óbitos por afogamento na faixa etária de 1 a 9 anos de idade. Criado em 2012, o Piscina+Segura é levado às escolas, academias e clubes de natação, despertando o interesse de novos alunos e responsáveis que buscam práticas aquáticas em locais seguros e com orientação qualificada.

Surf-Salva

O surfista é o visitante mais assíduo de nossas praias e, muitas vezes, responsáveis por salvamentos aquáticos. Para qualificar esse público, o programa ensina técnicas básicas em prevenção de afogamento, salvamento aquático com prancha e primeiro socorros.

Sobrasa Kids

O Sobrasa Kids é um programa realizado com crianças em praias, piscinas e escolas de forma lúdica e interativa. Utilizando o esporte, crianças aprendem as diversas ações de redução dos afogamentos, com base na prevenção.

Maioria das vítimas são homens

A cada uma hora e meia, um brasileiro morre afogado. Deste número, 59% das mortes na faixa de um a nove anos de idade ocorrem no ambiente familiar como piscinas ou cisternas. Segundo o último boletim epidemiológico divulgado pela Sobrasa, principal entidade de prevenção e salvamento aquático do país, 15 pessoas morrem diariamente vítimas de afogamento, uma a cada 90 minutos. Crianças entre 1 e 4 anos de idade estão entre as principais vítimas, uma vez que os afogamentos são a segunda causa de morte nessa faixa etária e 50% ocorrem dentro de casa.

De acordo com levantamento da Sobrasa, entre as vítimas, os homens são a maioria — sete em cada 10 mortes. No verão, o número de afogamentos sobe 45% e 70% dos óbitos acontecem em rios, lagos e represas. Incidentes aquáticos totalizam 5.700 óbitos por ano no país, isto sem mencionar os não-fatais que chegam a mais de 100 mil casos. No entanto, esses dados alarmantes podem ser evitados com medidas simples de prevenção, que é o foco de atuação da entidade: “Prevenir é salvar — educar para não se afogar”.

Patrícia Starling – DHL é a empresa de logística mais internacional do mundo.

David Szpilman – Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático – Sobrasa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.