Dor nas pernas: como identificar se é um problema vascular ou neurológico?

Neurocirurgião destaca coluna como raiz do problema

Quem nunca sentiu dor nas pernas? Esse problema é mais comum do que se imagina e  afeta inúmeras pessoas diariamente. São muitos os fatores que podem desencadear dor nas pernas ou nos chamados membros inferiores – desde o excesso de esforço físico até problemas mais complexos, entre os quais, doenças vasculares, problemas ortopédicos ou de origem neurológica. Nesses casos, o importante é identificar em que território a dor acontece, o que normalmente causa confusão para o paciente que não consegue diferenciar em qual área do corpo o problema está relacionado.

Dentre as doenças vasculares, a má circulação sanguínea, seja por problema arterial ou venoso, pode causar dor nas pernas. a falta de suprimento sanguíneo, por um problema arterial, costuma atingir os pacientes mais idosos e dificulta muito para caminhar. problema na drenagem de sangue, ou seja, a insuficiência venosa também prejudica os membros inferiores podendo ocasionar inchaço nos tornozelos e pés, sensação de dormência, formigamento ou queimação.

Já no campo neurológico, dores nas pernas podem apresentar relação com doenças na coluna ou compressão do nervo. “Em geral, nós temos o problema do nervo que pode estar acometido em diferentes segmentos, o mais comum realmente é a dor na perna causada por problemas da coluna. E uma compressão da raiz nervosa – que é a origem do nervo na coluna, pode ocasionar dor, trazer perda de sensibilidade e de força”, afirma o Dr. Marcelo Amato, médico neurocirurgião, especialista em endoscopia de coluna e cirurgia minimamente invasiva da coluna.

O Dr. Amato explica que “quando é um problema de coluna ou nervo, geralmente, respeita o território do nervo acometido. Se tem uma dormência, um formigamento que vem pela perna, pega o dorso do pé e o dedão, isso é característico de uma raiz nervosa. É muito difícil um problema vascular dar esse padrão de acometimento sensitivo. Nas doenças vasculares, a sensibilidade fica acometida de uma forma mais global”.

Uma das formas de apresentação que costuma confundir entre doença vascular e neurológica é a claudicação dos membros inferiores. “Esse termo significa que as pernas doem, adormecem e podem falhar após andar certa distância. Existe a claudicação vascular e a claudicação neurológica. Curiosamente, além de outras características, na claudicação vascular, o paciente tem muita dificuldade para subir uma ladeira, já na claudicação neurológica, o paciente tem muita dificuldade para descer a ladeira e, subi-la, costuma ser mais fácil”, detalha Dr. Amato. 

Há exames específicos para diagnosticar o problema e diferenciar cada caso. Procurar um especialista para um diagnóstico correto é essencial para o tratamento efetivo. 

Dr. Marcelo Amato – Graduado pela USP Ribeirão Preto e doutor pela USP São Paulo, o médico neurocirurgião Marcelo Amato é especialista em endoscopia de coluna e cirurgia minimamente invasiva de crânio e coluna. Doutor em neurocirurgia pela Universidade de São Paulo (FMRP-USP). Especialista em neurocirurgia pela Sociedade Brasileira de Neurocirurgia (SBN) e pela Associação Médica Brasileira (AMB). Neurocirurgião referência do Hospital de Força Aérea de São Paulo (HFASP) desde 2010.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.