Entenda as Mudanças que o Cabelo pode Sofrer durante a Gestação e Puerpério

Por conta das alterações corporais que as mulheres passam durante a gestação, os cabelos podem ficar mais fortes e bonitos. Porém, o pós-parto pode ser um período de perda dos fios. Veja o que fazer nestes casos

É comum ouvir grávidas relatando o quanto os cabelos estão mais forte e bonitos naquele momento da vida delas. E isso está diretamente ligado à gestação. Durante a gestação, ocorrem mudanças no corpo da mulher que podem trazer essas alterações para os fios de cabelo.

O médico e tricologista Luciano Barsanti, presidente da Sociedade Brasileira de Tricologia e Diretor Médico do Instituto do Cabelo, explica que isso acontece devido à formação da placenta. “A gravidez pode ser um momento mágico na vida da mulher. Nas 40 semanas de gestação, acontecem mudanças nas concentrações hormonais, por conta da formação da placenta, um ‘novo órgão’ que é base de alimentação e oxigenação do bebê. Com isso, o cabelo fica muito mais lindo, brilhante e farto, já que nascem até mesmo novos fios e os antigos são fortalecidos”, afirma o especialista.

Entretanto, ele alerta que não existem apenas pontos positivos, já que a oleosidade do couro cabeludo também aumenta consideravelmente. Isso possibilita o aparecimento da dermatite seborreica, que é a caspa, aumentando a coceira e descamação. E o médico e tricologista reforça que, mesmo que isso aconteça, é importante que a grávida não se automedique e busque sempre um profissional de sua confiança.

Com o nascimento do bebê, o corpo passa por novas mudanças, mas, desta vez, acontece o processo de readequação hormonal. Então, durante o pós-parto, a puérpera pode perceber um aumento significativo da queda dos cabelos, que ocorre entre o 3º e 4º mês após a gestação. O episódio clínico tem o nome de eflúvio telógeno pós-gravídico e ocorre em mais de 60% das puérperas.

Além de ser presidente da Sociedade Brasileira de Tricologia, Barsanti é também o diretor médico do Instituto do Cabelo em São Paulo, onde foi criado um setor específico para mulheres que acabaram de ter seus filhos. “Na nossa rotina no Instituto do Cabelo, é muito frequente os casos de mães que chegam desesperadas com a queda capilar acentuada. Não há necessidade de pânico, pois se não houver doenças de base associadas, como a calvície genética, alterações da tireoide, desnutrição, depressão pós-parto, infecções e outras, ocorre uma recuperação gradual dos cabelos, voltando ao normal de forma natural”, tranquiliza o médico e tricologista.

Foi essa frequência que fez com que o setor específico fosse criado no Instituto do Cabelo. Quando esse tratamento se faz necessário, ele é voltado exclusivamente para as mamães recentes, no qual elas são submetidas a um protocolo de terapia capilar e do couro cabeludo, sem qualquer contraindicação, que tem a finalidade de estabilizar a queda e acelerar a recuperação e crescimento dos fios. E, no espaço, elas podem ficar ao lado de seus bebês para tê-los como companhia ou alimentá-los, sempre que necessário.

E, diferente do que muitas mulheres podem pensar, o eflúvio telógeno não tem relação com a amamentação, se a puérpera estiver bem nutrida e descansada. Então, Barsanti destaca que é muito importante fazer um pré-natal completo, alimentar-se bem, seguir sempre a orientação dos médicos e jamais praticar a automedicação.

“Essa é a principal recomendação para que a mulher possa curtir a gravidez, o nascimento do bebê. Assim, a beleza dos cabelos será sempre uma feliz recordação”, finaliza.

Fonte: o Instituto do Cabelo -O Instituto do Cabelo é uma clínica médica, registrada no CRM sob o número 38045, especializada no tratamento capilar de homens, mulheres e crianças. À frente dos trabalhos estão o Dr. Luciano Barsanti e a Dra. Marcia Cecilio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.