Os Sinais que os Pés Podem Dar para Indicar que Algo Não Vai Bem.

Médico ortopedista conta que é importante fazer uma inspeção, mesmo que semanal, nos pés para avaliar se tudo está correto

Pode procurar por bolhas, inchaços, rachaduras, calos, machas e atritos. Observe a cor e a textura das unhas, para verificar se não há infecção. Da mesma forma, cheque a cor dos pés: se estiverem azulados, pode indicar falta de circulação, assim como se estiverem vermelhos, podem indicar infecção ou inflamação. Também sinta se há algum incômodo ou dor constante que deve, sempre, ser investigado”, afirma.
 

O ortopedista explica que a classificação de cada tipo de pé, varia de acordo com seu formato (cavo, chato ou plano) e com o tipo de pisada, podendo ser pronada, supinada ou neutra. “É importante que os pés recebam atenções frequentemente. Assim, é possível evitar males comuns, como joanetes, esporão, fascite plantar, rachaduras e frieiras, entre outros”, diz.
 

Para ajudar. Dr. Lee deixa 3 pontos a serem considerados:
 

Câimbras: O desconforto passageiro, geralmente ligado ao excesso de esforço muscular.
 

Inchaço: O acúmulo de líquido sinaliza de traumas locais a problemas no sistema circulatório, como hipertensão e insuficiência cardíaca.
 

Dedos sobrepostos: Estão relacionados a degeneração por sobrecarga crônica e também podem ser resultado da progressão da artrite reumatoide.
 

Para evitar esses e outros incômodos e ainda prevenir doenças e lesões, a dica do médico é escolher o sapato adequado. “Um calçado adequado é capaz de evitar uma série de problemas nos pés, como esporões e reduzir sintomas de joanetes. Opte por modelos que encaixem da melhor forma no seu tipo de pé, com solados menos flexíveis, para redução da sobrecarga. Evite o uso excessivo de salto alto e opte pelo material e tamanho adequado. Observe também a capacidade de amortecimento de impacto do calçado e evite solados escorregadios”, avisa.

 

Os cuidados também devem ser redobrados com a higienização.
Para evitar infecções, inflamações e, até mesmo, fungos, como aqueles que causam as frieiras, Dr. Lee lembra que é importante manter o pé devidamente higienizado e secá-los bem após a lavagem. Ainda, busca hidrata-los com regularidade, evitando rachaduras.
 

No mais, o médico indica fazer exercícios bem orientados de amplitude e alongamento dos pés, bem como usar uma bolinha de tênis para fazer movimentos circulares na planta do pé, já que isso pode ajudar na circulação local.

Dr. Bruno Takasaki Lee

CRM: 120.229

Ortopedista Especialista em Pé e Tornozelo

Médico formado e Especializado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Tendo praticado inúmeras atividades esportivas durante sua vida, o Dr. Bruno Lee integra seu conhecimento técnico ao esportivo, unindo o conhecimento anatômico, patológico e funcional para o alcance do melhor resultado no tratamento de suas patologias. Nos últimos anos, o Dr. Bruno Lee buscou continuamente o aperfeiçoamento nas técnicas minimamente invasivas para tratamento das patologias dos pés. Esta nova técnica, em sua opinião, revolucionou e continuará revolucionando o cuidado nas patologias do pé e tornozelo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.