Bebês, Ervas e Temperos: Benefícios na Alimentação

Quase toda criança implica quando vê um “verdinho” misturado à comida e estranha quando o prato tem um tempero diferente. Para driblar essa dificuldade, o ideal é acostumá-las desde cedo ao consumo de ervas e especiarias, que, além de acrescentarem paladar e coloração à refeição, são fontes importantes de vitaminas e minerais. Estes temperos podem ser usados a partir do sétimo mês do bebê, logo no início da introdução alimentar.

– Pode-se usar salsinha, cebolinha, manjericão ou coentro, que dá muito sabor, na papinha do bebê, logo nas primeiras papinhas. Isso ajudar a ir apurando o paladar da criança – assegura.

A única restrição, diz a nutricionista, é em relação aos temperos picantes. Páprica picante, canela, pimenta, só devem ser usados depois de 1 ano de idade.

As ervas podem ser usadas em todos os pratos. O macarrãozinho a refeição preferida do bebê com molho de tomate, picar um coentro ou uma salsinha por cima. No sanduíche de queijo para crianças maiores, acrescentar orégano deixará o lanche com gosto de pizza. Outra receita apetitosa é a batata rústica, aquela que a gente coloca no forno. Colocar orégano ou alecrim com azeite por cima. – diz Mary.

A nutricionista também recomenda criatividade no preparo das refeições. Quem disse que o arroz tem que ser sempre branco? Ou que o macarrão não pode ser do Hulk? Temperos como açafrão e páprica doce podem ser grandes aliados na hora de variar a comida e o paladar. E que tal investir na batata ao forno com alecrim, um clássico, mas também na batatinha baroa com alho poró?

Ofereça coisas diferenciada ao bebê e às crianças. Vale botar açafrão no arroz e dizer que o almoço vai ser diferente, amarelinho. Outra ideia é bater ervas verdes, manjericão e salsinha com azeite e misturar ao macarrão, que vira o prato do Hulk – diz Mary, lembrando ainda que as especiarias são grandes aliadas na hora de incrementar as saladas. Basta fazer um molho com azeite, limão e as ervas de preferência, como o manjericão.

Outra ideia para que os pequenos adotem as ervas e nunca façam cara feia para pratos com elas, é ter uma hortinha em casa.

Uma coisa interessante e que costuma dar certo é fazer uma hortinha em casa. Não dá trabalho, pode-se comprar na feira ou hortifruti um pezinho de salsinha e cebolinha, que crescem muito rápido, e plantar. Também podem se envolver no preparo da refeição, escolher que tempero querem no dia, dizer se preferem a erva picadinha ou em raminhos, que eles mesmos podem dispor no prato – diz Mary.

Se nada disso der certo, os pais não devem desistir. Se a criança ou bebê resistir ao alimento num dia, não insista. Tente outra ocasião. Segundo ela, não há um intervalo certo para reintroduzir o alimento, mas esperar alguns dias é uma boa ideia.

Outra dica é não deixar as ervas refogando por muito tempo para que elas não percam suas propriedades. O ideal é usá-las por cima dos alimentos. Mary também recomenda que seja dada preferência aos temperos frescos, não os secos.

Conheça as propriedades de cada tempero:

Salsinha– Fonte de vitamina C e de vitamina A, a salsa é diurética, além de ser anti-inflamatória e estimular a limpeza de toxinas do organismo. Como tem sabor neutro, faz sucesso nas papinhas de bebês.

Manjericão – Protege o organismo e fortalecendo a imunidade. É rico em vitamina C e flavonoides com ação antioxidante.

Cebolinha – Fonte de vitamina A, vitamina C e ferro.

Coentro – Tem altas quantidades de vitamina C, além de ajudar a eliminar toxinas do organismo do bebê e atuar no sistema imunológico.

Orégano – Ajuda a regularizar a flora intestinal. Tem ainda ação antifúngica. Como tem sabor mais acentuado, cuidado ao usar.

Alecrim – Tem ação digestiva e estimula a salivação, estimulando o apetite. Apresenta ainda propriedades contra dores e possui ação anti-bacteriana.

Gengibre – Uso indicado a partir de um ano. Combate as náuseas e digestão ruim. O consumo melhora a flora intestinal, tem excelente quantidade de nutrientes como fósforo, cálcio e magnésio.

Cravo – ao juntar com outras especiarias, como canela ou noz-moscada, servirá para tornar a preparação apetitosa. Além disso é calmante e digestivo, usá-lo com parcimônia, pois tem um aroma muito intenso.

Hortelã – Tem efeito laxativo, bom para digestão, reduz gases, apresenta efeito calmante, antimicrobiana e antiviral, antioxidante. Uma sugestão é usar no suco de abacaxi.

Sálvia – Reduz gases, tem ação anti-inflamatória e antimicrobiana.

Tomilho – Antifúngico e anti-inflamatório

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.