A Relação entre Sabores, Horários de Consumo, Clima e Emoção com Cada Órgão do Corpo

Segundo a Medicina Chinesa, a teoria dos órgãos explica as relações entre a alimentação e os órgãos do corpo e revela porque eles não se limitam apenas a seu aspecto físico/material, mas também a seu aspecto energético/metabólico.

Por isso, o equilíbrio entre estes sistemas são explicitados pelo tipo e pelo sabor dos alimentos, pelo horário que são ingeridos e pela emoção sentida a cada dia.

O ácido vai para o fígado e ajuda a parar com o suor e a diminuir as tosses, o sal entra nos rins e pode drenar, purgar e suavizar a digestão, os amargos vão para o coração e para o intestino delgado e ajudam a resfriar o corpo e a secar a umidade, os picantes entram nos pulmões e no intestino grosso e estimula o apetite e os doces vão para o estômago e para o baço e ajuda a lubrificar o corpo. Cada alimento leva os nutrientes para os órgãos correspondentes para que cada um funcione mais e melhor. Quem explica é o farmacêutico naturopata Jamar Tejada (Tejard).

“Para fornecer mais energia aos rins, prefira os salgados (sal marinho ou do Himalaia sem excesso), que fazem essa função, já o sabor amargo como o café, jiló e escarola são bons para a saúde do coração e finalmente para expelir toxinas, os alimentos ácidos, como abacaxi e limão, são os mais indicados”, revela.

E não são apenas os sabores, as estações e épocas do ano também são fatores a serem levados em consideração. “Na primavera, que normalmente mais úmida na China, vale ingerir alimentos que possam acabar com a umidade no corpo. No verão, como é mais quente, a preferência deve ser por alimentos que possam resfriar o organismo. O outono é mais seco, então a necessidade é por alimentos que possam “lubrificar” o corpo e no inverno, o mais recomendável é ingerir comidas quentes”, ensina.

Jamar ainda afirma que cada órgão possui um horário em que sua energia está mais atuante.

Manhã: os alimentos doces irão fortalecer o estômago, baço e pâncreas.

Almoço: o sabor amargo deve estar presente para agir na energia do coração.

Noite: vale investir no sabor salgado.

Para o farmacêutico, o desequilíbrio das emoções pode também afetar a função dos órgãos.

“A raiva está associada ao fígado. Por isso que uma frustração reprimida normalmente causa a estagnação da energia vital e isso pode resultar em depressão ou desordens menstruais”, diz. A alegria está ligada ao coração, por isso que as boas ou a más notícias súbitas chegam como um choque para o sistema. E por fim, a preocupação, uma emoção muito comum em nossa sociedade repleta de estresses, pode esgotar a energia do baço. “Isso pode causar distúrbios digestivos e acabar levando à fadiga crônica”, finaliza.

Sobre Jamar Tejada  Farmacêutico graduado pela Faculdade de Farmácia e Bioquímica pela Universidade Luterana do Brasil, RS (ULBRA), Pós-Graduação em Gestão em Comunicação Estratégica Organizacional e Relações Públicas pela USP (Universidade de São Paulo), Pós-Graduação em Medicina Esportiva pela (FAPES), Pós-Graduação em Comunicação com o Mercado pela ESPM, Pós-Graduação em Formação para Dirigentes Industriais com Ênfase em Qualidade Total – Engenharia de Produção pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul-(UFRGS) e Pós-Graduação em Ciências Homeopáticas pelas Faculdades Associadas de Ciências da Saúde. Proprietário e Farmacêutico Responsável da ANJO DA GUARDA Farmácia de manipulação e homeopatia desde agosto 2008


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.